Viajar para a Europa está cada vez mais fácil e barato

Viajar para a Europa está mais barato

Um dos grandes sonhos de muitos brasileiros é conhecer a Europa. Mas durante décadas, por causa da economia, esse privilégio era para poucos. Só que os tempos mudaram e chegou a hora de tirar esse plano do papel. Está mais fácil e barato ir para o velho continente e é até possível viajar duas vezes no ano.

Segundo o economista Richard Rytenband, os principais fatores são a crise na zona do euro e o bom desempenho da economia brasileira nos últimos anos. "Só pela ótica da taxa de câmbio (é o preço de uma moeda estrangeira medido pela moeda nacional) as viagens já estariam 40% mais baratas, mas com a atividade turística atenuando os efeitos da crise nos países mais atingidos, como Portugal, Grécia e Espanha, o custo do transporte, hospedagem e outras despesas estão mais baratas do que em outros períodos."

Para o economista e professor da União Educacional de Brasília, Edmilson Costa, um dos principais motivos para se conhecer a Europa agora que esse continente é composto por países pouco extensos, o que traz a possibilidade de os turistas conhecerem vários locais de uma única vez. "Numa distância semelhante a Porto Alegre (Rio Grande do Sul) e Macapá (Amapá) daria para um turista brasileiro conhecer até mesmo 12 países". Costa também afirma que, o clima também é favorável, pois o Hemisfério Norte está entrando na Primavera. "Acabou o inverno e as temperaturas estão mais amenas".

Para a viagem é importante pesquisar quais serão os roteiros, hospedagem, passeios e atrações turísticas, para que os viajantes possam se programar financeiramente. "Uma viagem de 10 dias excluindo-se o custo da passagem e o seguro saúde, mas incluindo refeições, alguns tickets e hospedagem, custa de U$ 180 (R$ 328) a U$ 200 (R$ 364) por dia. Se permanecer por 15 dias o custo cai para U$ 150 (R$ 273) ou U$ 160 (R$ 291)", afirma Costa.

É essencial contratar um seguro de saúde para o período da viagem. "Nunca se sabe quando podemos precisar de algo e o custo para quem não possui seguro pode ser altíssimo dependendo da situação", alerta Rytenband.

O professor Costa indica que para primeira viagem deve-se passar pelo menos por quatro países que são os preferidos dos brasileiros: Inglaterra, França, Itália e Portugal, com suas respectivas capitais e principais atrações. "A Inglaterra, em sua efervescência, por estar sediando os Jogos Olímpicos. França pelo Louvre, Torre Eiffel e seus cafés. Roma e Vaticano devido aos seus monumentos históricos e Portugal por ser um local que traz um pico da raiz do Brasil."


Para uma segunda viagem vale a pena explorar o leste europeu e todos os países da cortina de ferro. "Não deixem de conhecer a República Tcheca, Hungria, Polônia e Rússia."

Depois que o roteiro estiver definido é bom que você procure o consulado do país para verificar condições de hospedagem, vacinas necessárias, contratações de guia e etc. Conversar com alguém que já fez o passeio também é importante, para que o viajante possa ter ideias mais ampla de roteiros.

Por Flávia França (MBPress)

Comente