Viagem para o exterior com dólar em alta

Viagem para o exterior com dólar em alta

Foto: Chris Rogers/Corbis

Você planejou durante anos uma viagem para o exterior com toda sua família e justo agora que você iria fechar o pacote com a companhia de viagem o dólar aumentou... Bate aquela decepção e a dúvida: será que vou ter que adiar?

Bom, o dólar está fechando com alta desde abril de 2009 e isso está preocupando muitos brasileiros que dependem da moeda para alguma coisa, principalmente para viajar. A melhor coisa é esperar.

"O gasto com viagens para o exterior aumentaram. Passagens, diárias de hotéis, alimentação e compras, por exemplo, exigem um desembolso maior em reais com o dólar alto", alerta o professor Pedro Raffy Vartanian, do curso de Economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Raffy conta que assim como em viagens nacionais, é importante reservar com bastante antecedência o hotel e as passagens aéreas na sua viagem internacional, ou aproveitar eventuais promoções tarifárias para reduzir o custo da viagem.

"Outra sugestão é fazer um planejamento do gasto em dólares e comprar a moeda estrangeira com antecedência em duas ou três compras, para que o viajante não seja surpreendido com uma alta como a que está acontecendo agora", sugere.

Não vá pensando que o melhor a fazer é deixar tudo para a última hora. "De uma forma geral, em viagens internacionais, é melhor não deixar nada para depois, principalmente no cartão de crédito, pois se ocorrer uma valorização expressiva do dólar, os gastos em reais aumentarão muito", afirma Raffy.

Caso você queria dar aquele jeitinho brasileiro e tentar arrumar uma saída para o dólar alto, isso não é possível. O que você pode fazer é adiar a viagem, trocar por uma doméstica ou manter a viagem internacional, refazendo os cálculos com a nova cotação.

Nem o cartão de crédito pode lhe ajudar nessa hora, porque você pode tomar um prejuízo maior ainda. Conforme explica o professor universitário, o histórico do comportamento da taxa de câmbio no Brasil, de volatilidade, indica a presença de riscos nesse tipo de operação.

"Se o dólar desvalorizar, a utilização do cartão de crédito vai trazer benefícios para o viajante. Por outro lado, o risco é de um aumento na fatura a pagar se o dólar continuar valorizando. Apostar em queda do dólar no futuro neste momento é arriscado e pode fazer com que a viagem aumente o endividamento do turista no futuro."


De acordo com Raffy sua válvula de escape pode ser o cartão pré-pago. "É o tipo de cartão no qual o viajante "recarrega" dólares e pode utilizar no exterior". Desse modo, o turista pode fazer uma estimativa de gastos em dólares e levar no cartão. Não vai fugir do dólar alto, mas evita uma despesa ainda maior, caso a moeda valorize ainda mais quando vier a fatura do cartão.

Agora é só você escolher a melhor maneira de viajar e tirar as merecidas férias passeando pelo exterior.

Por Marisa Walsick (MBPress)

Comente