Vale a pena investir na Bolsa?

Em 2007, a Bolsa foi o xodó dos investidores e dos aventureiros. O Ibovespa (indicador que reflete o resultado do desempenho da Bovespa) teve resultado positivo de 40,65% e algumas ações chegaram a dobrar e triplicar de preço. Nos bares, restaurantes, reuniões, noticiários, na praia, nos salões, sempre tinha alguém falando sobre o quanto vinha ganhando.

Como se tivessem muita experiência e sabedoria alguns novatos explicavam com propriedade “teorias que teoricamente” justificavam o sucesso de tanta inteligência e arrojo financeiro. E coitados daqueles que não tinham investido na Bolsa. Ficavam com a sensação de ter perdido uma oportunidade de ouro. Pior alguns que venderam até o que não deviam, como a casa e o carro, para colocar dinheiro na bolsa na expectativa de ganhar dinheiro fácil, como se não houvesse riscos. Viveram momentos de euforia e depois enfrentaram a virada do mercado.

Em 2008, o sonho do "El Dourado" transformou-se em pesadelo para muita gente. O resultado geral foi negativo. O Ibovespa caiu 40,64% e algumas ações, inclusive as mais negociadas, chegaram a perder ainda mais.

As perdas e o choque foram maiores principalmente para quem baixou a guarda ou para quem inocentemente ou inconsequentemente acreditou que aquela euforia do ano anterior iria se repetir eternamente. E acredite: teve quem pensasse assim.

E pensar que tinha gente que no começo da crise tinha até orgulho de dizer que estava perdendo algum dinheiro, mas que ainda estava no lucro pelo tanto que haviam ganhado no passado. Gostavam de externar a postura de investidores arrojados. Gente que confundiu mercado financeiro com jogo de azar, Bolsa de Valores com loteria esportiva.

Novatos que se iludiram com as facilidades dos portais para home-brokers e alguns acertos facilitados pelo mercado favorável que acreditaram ser os novos gênios do mercado financeiro. Pouco a pouco esse assunto foi desaparecendo das rodinhas e os “novos valentões” do mercado desapareceram como se nunca tivessem existido. E junto com eles muito dinheiro! E assim continua.

Enquanto isso, os tubarões continuavam ganhando dinheiro e jantando as sardinhas. É verdade! Mesmo quando o mercado cai muita gente ganha dinheiro. Geralmente os mais atentos, os menos gananciosos, os mais capitalizados, os mais ágeis, os melhor informados e, principalmente, os mais focados. Nessa hora se distinguem os profissionais dos aventureiros. É claro que eventualmente profissionais também perdem e aventureiros também ganham, mas no longo prazo a tendência é outra. O histórico também.

Mas certamente ninguém previu que a crise mundial fosse tomar tamanha proporção e que os reflexos nos preços das ações fossem tão negativos. Porém, quem já tinha, acima de tudo, educação financeira - não apenas conhecimentos sobre o mercado, levou tombos menores e preservou parte dos seus ativos em outros tipos de investimento, minimizando as perdas no mercado de ações.

A crise ainda não acabou. Mas o Carnaval já e 2009 começou de verdade e com ele novas esperanças. Depois de tantos altos e baixos dos mercados nos últimos anos a população está mais preparada, menos ansiosa e mais consciente que investir significa assumir riscos.

Eu, de minha parte, continuo achando que investir na Bolsa vale à pena. Principalmente para quem respeita princípios básicos como da não concentração de ativos, da diversificação de papéis, do respeito aos próprios limites e da visão de longo prazo.

Sobre as expectativas? Triste ilusão de quem espera ganhos expressivos com continuidade. Na atualidade, frente aos patamares de juros mundiais, poderá comemorar quem conseguir ganhos da ordem de 20% no final do ano. E isso eu acredito que a nossa BOVESPA vai superar. Mas é sempre bom lembrar: investir é arriscar. Não esqueçamos de 2008.

Álvaro Modernell é colunista de Finanças Pessoais do Vila Sucesso. Palestrante, consultor, autor de livros e sócio da Mais Ativos Educação Financeira, esse especialista te ajudará na tarefa de lidar com o dinheiro

Comente