Tipos de investimentos para mulheres

Tipos de investimentos

Foto: David Harrigan/ableimages/Corbis

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as brasileiras vivem, em média, cerca de oito anos a mais que os brasileiros. Levando isso em conta, será que devemos planejar melhor nosso futuro financeiro por meio de tipos de investimentos?

A resposta é sim, mas não porque somos mulheres, mas porque todos devem investir e garantir um futuro mais tranquilo. De acordo com Chris Monteiro, economista da Mais Money, não existe investimento exclusivo para o público feminino ou masculino, com exceção aos seguros. "O que precisamos avaliar são os objetivos com o dinheiro e alocar no investimento mais condizente com o esperado", conta ela.

Hoje o mercado está recheado de opções de investimentos, inclusive para quem tem pouco dinheiro para a aplicação inicial. Veja só as diferentes opções de investimento bem explicadas para ajudar em suas escolhas.

Investimentos em curto prazo

Tesouro Direto

  • O que é: esse é um programa de negociação de títulos públicos a pessoas físicas por meio da internet. O investidor empresta dinheiro para o governo em troca de uma rentabilidade mensal.
  • Como funciona: Depois de abrir uma conta numa corretora de valores, é só efetuar a compra pelo próprio site do Tesouro Direto (https://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto) ou pelo homebroker (sistema que conecta o usuário ao pregão eletrônico) da corretora.

    Existem diferentes títulos para compra. Daremos dois exemplos icônicos: as Letras do Tesouro Nacional (LTN) e as Letras Financeiras do Tesouro (LFT).

    LTN: é um título com rentabilidade definida no momento da compra e o pagamento é único e feito na data de vencimento do título ou de seu resgate.LFT: é um título com rentabilidade diária vinculada à taxa Selic no momento da compra. O pagamento é igual ao das LTNs.
  • Benefícios: com apenas R$30,00 é possível comprar títulos. Além disso, é possível escolher entre investimentos de curto, médio e longo prazo, já que o Tesouro Nacional garante a recompra do seu título todas as quartas-feiras.

    As taxas de administração e custódia são baixas e o Imposto de Renda é cobrado apenas no momento da venda ou vencimento do título.

  • Desvantagens: caso haja uma alta inflação, o rendimento real cai, já que se desconta o que a inflação corroeu. E, se o investidor resgatar o dinheiro antes do vencimento, pode ter rentabilidade maior ou menor do que a prevista no momento da compra.
  • Objetivos: depende da estratégia que o investidor adotará junto ao seu consultor para determinar se o investimento será de longo ou curto prazo.

    CDB (Certificado de Depósito Bancário)

  • O que é: é uma espécie de empréstimo feita ao banco pelo investidor e que rende uma margem de lucro baseada nos juros de empréstimo.
  • Como funciona: existem três tipos do CDB, o pré-fixado, o pós-fixado e o com Swap.Pré-fixado: o rendimento é decidido na data da negociação.Pós-fixado: podem ser oferecidos com ou sem liquidez diária e rendem dependendo de indicadores, como o CDI.
  • Com Swap: podem ser negociados para que a remuneração seja pré ou pós-fixada. O índice varia de acordo com o desempenho de indicadores como a taxa Selic (taxa de juros básica da economia), mas se restringe a investimentos mínimos mais altos, geralmente acima de R$100 mil.

    Antes de optar por uma destas modalidades, certifique-se de ter tentado negociar a taxa de remuneração com o banco. Instituições maiores costumam pagar menos e o rendimento está bastante atrelado à necessidade de captação de cada banco, portanto, pesquise muito!

  • Benefícios: não possui taxas de administração; o imposto de renda, apesar de ser pago, tem taxa regressiva (começa a 22,5% nos primeiros seis meses e vai caindo até alcançar o mínimo de 15%); o investimento é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) e você pode resgatar a quantia a qualquer momento, já que o CDB possui rentabilização diária.
  • Desvantagens: o maior risco que se corre é de o banco quebrar e não conseguir honrar o compromisso fixado com você.
  • Objetivo: esse tipo de investimento é para metas mais curtas, como uma viagem programada para dois anos.

    Investimentos em longo prazo

    Ações

  • O que é: uma ação é a menor parte do capital de uma empresa. Ou seja, ao comprar uma ação, você se torna uma pequena sócia da empresa, sendo proprietária de um pedacinho dela.
  • Como funciona: existem dois tipos de ações, as Ordinárias Nominativas (ON) e as Preferenciais Nominativas (PN).ON: dá ao acionista direito de voto na assembléia sobre definições na empresa.PN: não dá direito de voto, mas dá preferência no recebimento dos dividendos.

    As empresas dividem seus lucros com os acionistas em certos períodos, que podem ser mensalmente ou trimestralmente. Os dividendos dados a quem tem ONs nem sempre são iguais aos dados a quem tem PNs, já que as preferenciais, além de serem compradas e vendidas com mais facilidade, recebem maiores valores em alguns casos.

  • Benefícios: são muitas as vantagens, como bom potencial de rentabilidade em longo prazo, o recebimento de dividendos periodicamente e não é preciso muito dinheiro para começar. Você pode comprar e vender suas ações no momento em que quiser, é possível alugá-las e ganhar um rendimento extra e você pode acompanhar seus investimentos on-line a qualquer momento. A eficiência tributária também costuma ser um ponto forte. O Imposto de Renda sobre os rendimentos é cobrado apenas na saída do investimento e só existe se o resgate for maior que R$20 mil (neste caso, cobra-se 15% sobre o ganho).
  • Desvantagens: esse é um investimento incluso numa classe chamada de ‘Renda Variável’, pois o capital investido pode lucrar ou dar prejuízo de acordo com as movimentações do mercado. É o mesmo risco de abrir um negócio. Você vira sócio de uma empresa. Se ela for bem, suas ações se valorizam, mas caso ela quebre, todo o seu dinheiro vai junto com ela. Por isso é importante investir apenas em um negócio que você confie e acredite que continuará a ter sucesso no futuro.
  • Objetivos: esse tipo de investimento é destinado a incrementar a rentabilidade do seu capital, mas é necessário um tempo maior para que isso ocorra de forma consistente. Por isso, defina sua meta para, no mínimo, 10 anos.

    Fundos de Investimento

  • O que é: é a união de vários investidores que se juntam para realizar um investimento financeiro, onde a receita e as despesas geradas são divididas entre todos.
  • Como funciona: os cotistas, ao aplicarem um valor, compram uma determinada quantidade de cotas e pagam uma taxa para que alguém administre o fundo, coordene as tarefas e gerencie os recursos no mercado. Cada investimento possui um conjunto de regras de funcionamento próprias (aplicação, resgate, custos, horários, etc.) e obedece à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Além disso, cada investidor possui os mesmos direitos dos demais, independente de sua quantidade de cotas.
  • Benefícios: é possível que investidores com perfil similar, objetivos comuns, estratégias de investimento semelhantes e mesmo grau de tolerância a risco possam concentrar recursos para aumentar seu poder de negociação e diluir os custos de administração, além de contarem com profissionais especialmente dedicados à gestão do dinheiro investido.
  • Desvantagens: uma das grandes desvantagens é a falta de autonomia na tomada de decisões, já que é tudo decidido em grupo. Delegação dos recursos a terceiros, submissão a regras previamente estabelecidas e rendição à vontade da maioria também são pontos negativos desse tipo de investimento.
  • Objetivos: destina-se a objetivos de longo prazo, principalmente se for um fundo de renda variável. É melhor definir uma meta para 10 anos.

    Mercado Imobiliário

  • O que é: a compra de um terreno ou imóvel, seja na planta, em fase de construção ou já construído.
  • Como funciona: comumente é alugado para uma pessoa ou empresa e o proprietário recebe mensalmente o aluguel do imóvel.
  • Benefícios: sua rentabilidade mensal é uma das grandes vantagens de se investir no mercado imobiliário.
  • Desvantagens: a grande desvantagem desse tipo de investimento é a possibilidade da rentabilidade quando comparada ao seu risco (de ninguém querer alugar, dar calote, destruir e desvalorizar o imóvel, etc.).

    Além disso, geralmente, o dinheiro necessário para ingressar nesse tipo de investimento é muito alto. Mas já existem opções no mercado que possibilitam a entrada do pequeno investidor. "Nós da MaisMoney possuímos esse tipo de produto, em que o aporte inicial é de apenas R$ 5.000,00, o que, para o mercado imobiliário, é um valor bem reduzido se comparado com o que é praticado", afirma Chris Monteiro.

  • Objetivo: podem ser adotadas várias estratégias. Desde o planejamento da aposentadoria até uma meta mais curta, de 5 anos em média, devido a sua possibilidade de "rentabilidade x risco". Mas, por falarmos de mercado imobiliário, sua liquidez não é imediata como nos demais investimentos. Desta forma, o investidor que direciona seu capital para esse investimento não deve ter pressa para resgatar.

    Previdência Privada

  • O que é: essa é uma aposentadoria que não está ligada ao sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). E essa pode ser complementar ao benefício da previdência pública.
  • Como funciona: você escolhe um tipo de plano, o valor da contribuição e o período durante o qual vai contribuir. Depois desse determinado período, você começa a receber o benefício. O recebimento pode ser por um tempo determinado ou na forma de uma renda vitalícia, dependendo da sua escolha.

    É possível adquirir planos a partir de qualquer idade (bastando apenas um CPF) e até mesmo para seus filhos, mesmo que ainda bebês.

  • Benefícios: um dos benefícios e usos mais comuns da previdência privada é a complementação da aposentadoria governamental. Isso possibilita que, caso a pessoa ganhe mais que R$4.159,00 (valor máximo do benefício social), possa complementar essa renda e manter seu padrão de vida atual.

    Outro ponto positivo é que o IR é cobrado apenas quando é feito o resgate do montante acumulado ou quando a renda passa a ser recebida. Assim o percentual de rendimento sempre incidirá sobre uma base maior de dinheiro, já que o imposto não foi descontado.

  • Objetivo: esse é um investimento para longo prazo, pensando na aposentadoria.

    *Site: Chris Monteiro, economista da Mais Money.

    Por Juliany Bernardo (MBPress)

  • Comente