Shoppings de luxo mais acessíveis para a classe média

Roupas, calçados, cosméticos, acessórios, livros, eletrodomésticos, cinema, ótica, alimentação e tantas outras opções que podem ser encontradas em um só lugar: no shopping. Que é o passeio comercial preferido de muita gente, isso é inegável. Tanto que, segundo estimativas da Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), cerca de 500 milhões de consumidores devem circular pelos shoppings de todo o Brasil a cada mês este ano.

Preocupados em atingir principalmente a classe média, mesmo os shoppings de luxo estão de adequando e oferecendo produtos para esse público também. "A tendência é de shoppings com grande poder aquisitivo estarem mais interessados na classe média", afirma Nabil Sahyoun, que é presidente da Alshop.

O foco dos empresários está voltado para classe média porque ela teve um crescimento representativo no ano passado. Para se ter ideia, 101 milhões de brasileiros passaram a integrar a classe C, que agora passa a representar 53% de toda a população nacional. Já as classes A e AB contam com um total de 42,19 milhões de pessoas.


Ainda conforme dados da associação, as classes C e D desembolsam aproximadamente entre R$ 50 e R$ 70 quando vão ao shopping. Já as classes A e B gastam entre R$ 200 e R$ 250. "Hoje, um empreendimento, para se consolidar, tem de atingir todas as classes", conclui o presidente.

Por Lívany Salles

Comente