Sair à noite fica cada vez mais caro

Sair à noite fica cada vez mais caro

Uma pesquisa recente realizada pelo economista da Fundação Getúlio Vargas (http://portal.fgv.br/), André Braz, conclui que os lazeres noturnos tiveram um aumento de 7,91% acima da variação de preços apurado pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor), no período de setembro de 2010 a agosto deste ano.

De acordo com a lista publicada pelo pesquisador, os principais aumentos foram seguintes serviços: shows musicais (13,09%); teatro (11,61%), bares e lanchonetes (9,35%), tarifa de táxi (9,30%) e restaurantes (8,71%).

Ou seja, sair de casa à noite ficou realmente mais caro. A família que deseja ir ao teatro, por exemplo, e antes disso pretende jantar, vai sentir a diferença no bolso. Contudo, o economista explica: "A taxa de desemprego está baixa e a renda está crescendo. Com a economia aquecida, as famílias passam a incorporar novos bens e serviços ao seu dia a dia, principalmente no que diz respeito aos gastos com lazer. Este crescimento da demanda por lazer favorece o aumento dos preços".

Outra pesquisa realizada mostrou que os cigarros tiveram reajuste de 40,19% e bebidas alcoólicas apresentaram alta de 19,53% (entre setembro de 2008 e agosto de 2011). Então mesmo o jovem, que tem seus gastos individuais, perceberá aumento nas despesas noturnas.


Para saber como continuar se divertindo e gastando menos, André dá a dica: "A noite deve ser planejada. Se decidir ir ao teatro, jante em casa e pague somente a entrada. O que não vale - para quem não quer ter despesa alta - é gastar com táxi, teatro, jantar e motel. A pessoa deve escolher um lazer e priorizá-lo. Priorizar programas com entrada franca também é interessante para gastar menos!"

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente