Renda extra

Artesanato

Caixas e Latinhas (Nice Souza) e Árvore de tecido (Florinda Martins)

Fim de ano é uma oportunidade e tanto para ganhar uma graninha extra, principalmente para as artesãs. Além de venderem os mais variados presentes, desde coisas para cozinha ou para o banheiro, também confeccionam produtos específicos da época que enfeitam a sala ou a mesa de Natal.

É o caso da artesã Nice Souza, de 34 anos, que, aliás, usa a comunidade Vila Mulher para mostrar o seu trabalho. “Esse será o primeiro ano que vou vender no fim de ano. Espero lucrar o suficiente para fazer um estoque de peças o próximo”, diz entusiasmada. Ela começou a elaborar peças em março com ajuda de uma prima. Primeiro foram os kits para bebês, depois vieram utensílios para cozinha e para banheiros. Tudo feito com latinhas, uma opção mais barata do que o mdf. Agora, ela já com a produção a todo vapor de porta panetones e caixas para presentes.

Conforme Nice, o lucro por peça varia muito. “Vai de 100% até 150%. Cobro um pouco, as peças em MDF são mais caras”, comenta. Além de vender pelo seu próprio site, ela também costuma comprar os materiais pela rede. “Faço muito uso da internet, pois tenho dois filhos pequenos e nem sempre sobra tempo. Escolho tudo aqui de casa mesmo e o valor compensa”.

Bolsas Pequenas

Bolsas de Amélia Martins

Quem tem a mesma opinião é Amélia Martins, de 31 anos, que tem filhos e também trabalha em casa. Mas ao contrário de Nice, ela já está no ramo há dez anos. Confecciona bonecas de pano e fuxicos, mas neste fim de ano o seu carro chefe será a bolsa artesanal, estilo carteira, muito em alta neste verão.

“No início comprei várias revistas de artesanato, mas com o tempo fui desenhando as minhas próprias bolsas. Compro muitos aviamentos e adereços pela internet. Você encontra materiais diferentes que deixam a peça única”, conta. Em média, nos finais de ano ela ganha dois mil reais. “Já conquistei uma clientela fiel, também consegui muitas vendas pelo Vila Mulher”.

Florinda Martins, de 48 anos, só faz peças para o Natal. Há dois anos começou com a venda de árvores de tecido e já está com novos modelos para este ano. Hoje vende modelos de três tamanhos, que custam entre 20 e 50 reais. O lucro por árvore varia entre 15 a 20 reais. “No ano passado cheguei a ganhar mais de mil reais com a venda de 70 árvores. Sem dúvida é um bom negócio”, ressalta.

Veja também

Vendas diretasRevendedoras de cosméticos

Por Juliana Lopes

Comente