Reformar a casa - dicas para não estourar o orçamento

Dicas para economizar na reforma

Foto Maggie Smith Images/ http://bit.ly/bK6Nvp

Planejamento e dinheiro, se estes dois itens básicos não andarem de mãos dadas, o sonho de reformar a casa e ter um cantinho novinho em folha vira pesadelo.

O educador financeiro Reinaldo Domingos, idealizador do método Disop comenta que a reforma é uma das ações que mais desequilibra financeiramente as pessoas. Portanto, para evitar sofrimento, a melhor coisa é fazer um levantamento correto do que se quer reformar, de quanto vai custar, quanto há em caixa disponível e quanto será possível pagar de prestação se for preciso financiar o valor. E nunca, mas nunca mesmo, comece uma reforma sem dinheiro.

"Se possível, tenha o montante guardado. Caso você chegue à conclusão de que não possui o total, faça uma boa pesquisa para descobrir as melhores taxas do mercado. Assim, o sonho da reforma não se transforma em pesadelo e nem em inadimplência", diz o educador financeiro.

Evite também fazer um orçamento por conta própria. Um profissional do ramo -arquiteto ou engenheiro - terá uma dimensão mais qualificada de como pode ser a reforma, tendo como base o orçamento do cliente. "Às vezes o morador acha que é só trocar uma coisinha, mas aí quando começa a mexer na casa percebe que será necessário estender um pouco mais e gastar mais também", diz Reinaldo.

E tenha um projeto definido. Porque, conforme diz Lucas Antunes Chedid, diretor comercial da Total Reformas e Reparos, obra sem ele é um ‘tiro no escuro. "O cliente deve cobrar do arquiteto um projeto minucioso, com detalhes de piso, forro, elétrica e hidráulica, não somente uma planta de layout. E todos os pontos abordados devem constar em contrato."

O tal do "já que"

Lucas dá outras orientações: "Os serviços não devem ser acordados em função de tempo, mas sim das tarefas. E antes de começar a obra, o cliente deve ir à loja para saber quanto gastará em materiais de acabamento para não ter surpresas". Uma vez fechado o escopo da obra, evite colocar em prática a expressão "já que" (Já que quebrei esta parede, vou fazer mais isso e aquilo"). E segure a ansiedade! "Não comece a obra sem a antes finalizar o projeto. Um dia de planejamento significa mais de um dia a menos de obra e até de gastos".

Sabendo o valor da reforma, o morador deve sempre poupar 40% ou 50% a mais do total, pois reformas costumam exceder os orçamentos iniciais. Se a reforma ficará em R$ 3.000, guarde no mínimo R$ 4.200. Outro ponto importante: as contas normais não param (luz, água, telefone, alimentação) e o custo das obras da casa não pode comprometer o pagamento das faturas já existentes. Então, antes de começar, tenha certeza se realmente pode arcar com mais essa dívida.

"Reúna a família, exponha o desejo e a necessidade de reformar a casa e bole um plano de redução de custos de luz, água, supérfluos. É fato que quando a família se policia, a economia doméstica chega a 20 ou 30%", afirma Reinaldo.

Dicas para economizar na reforma

Cuidado com a quantidade de pastilhas, pois elas costumam ser bem mais caras que o porcelanato e a cerâmica/Foto: Divulgação Pastilhas Atlas

Revestimentos - o segredo está nos detalhes

Com o projeto nas mãos, comece a pesquisa. Hoje é possível fazer isso pela internet, sem sair de casa. E fique atento: quanto mais difícil o serviço, mais caro ele fica. "Pastilhas são mais caras que porcelanato e cerâmica, sem contar que, no caso destes dois, quanto maior a peça, mais cara será a colocação. Peças acima de 0,60m x 0,60m costumam ter preço bastante elevado". No caso das tintas, uma pesquisa também é muito bem-vinda, lembrando que um bom material de pintura gera melhor produtividade

Materiais em ponta de estoque, segundo Chedid, podem ser uma boa alternativa. E o ideal é comprar sempre 15% a 20% a mais (margem de erro para desperdício e estoque). "Mesmo que sejam do mesmo modelo, peças de fornadas diferentes não são idênticas. Suas diferenças ficam à mostra ao serem colocadas lado a lado", afirma Lucas.

Na hora de comprar artigos menores, como portas, puxadores, saiba exatamente da quantidade de armários. "Sugiro também que o morador siga os tamanhos padronizados de mercado. "Por exemplo, uma pia de 80cm, fora do padrão, tende a custar mais que uma pia de 1.10m, que está dentro do padrão", diz Lucas.


Recentemente aconteceu a Feicon 2012 (Salão Internacional da Construção). E muitas inovações foram apresentadas. Lucas cita duas: lâmpadas de LED (são mais caras do que as lâmpadas frias e comuns, porém duram 10 anos e geram enorme economia de eletricidade e manutenção); e os fechamentos e paredes em Drywall. "Este método pode ser mais rápido e barato que alvenaria", comenta.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente