Reduções dos juros do cheque especial: cuidado com as armadilhas!

Reduções dos juros do cheque especial

Foto: Monalyn Gracia/Corbis

Se você é daquelas que sempre gasta mais do que o salário e, para cobrir ou quitar as dívidas, vive usando e abusando do cheque especial, atenção! Embora tenha ocorrido a recente queda de juros dos bancos brasileiros, esta linha de crédito continua sendo uma das mais caras.

A taxa média do cheque especial em julho foi de 8,07% ao mês - a menor já registrada pelo Banco Central (BC) desde 2008 -, perdendo apenas para o rotativo do cartão de crédito. Mas isso não significa que seja uma boa opção para quem está no vermelho.

"O cheque especial é algo perigoso e, se possível, não tê-lo é aconselhável. Devemos sempre entender que trata-se de uma linha de credito com juros altos e não um benéfico de limite de cheque especial", alerta Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira e Presidente da Abefin (Associação Brasileira dos Educadores Financeiros).

Para quitar as dívidas, Domingos afirma que a pessoa pode buscar outras linhas de crédito com menores juros, como o crédito pessoal ou consignado, com a possibilidade de realizar uma portabilidade. "Pesquise em todas as instituições financeiras, sejam elas privadas ou públicas. Quem procura acha", diz ele. "Porém, tenha tempo para realizar os estudos e certamente encontrará juros muito mais baixos. Acredite que pode mudar esta situação, pois só depende de você!", garante.

Segundo o educador financeiro, o cartão de crédito, se utilizado de forma consciente, pode trazer muitos benefícios como premiação, milhas e tempo na hora de pagar as compras. "O que não pode ocorrer é deixar de pagar a parcela total da fatura. Quando acontecer de não conseguir quitar o valor completo, busque outra linha de crédito e quite o mesmo. Caso contrário, os juros são exorbitantes, mesmo que tenham reduzido nestes últimos meses", orienta.

Para combater o problema pela raiz, Reinaldo salienta que é necessário entender que o cartão de credito e o cheque também são formas de pagamento e devem ser utilizados somente quando o dinheiro estiver disponível na conta. "Analise a maneira como está utilizando o dinheiro ganho e o dinheiro gasto. É muito provável que esteja vivendo um padrão de vida acima do permitido. Geralmente, uma pessoa e família têm de excesso em seus consumos de 20% a 30% e, por este motivo, recomendo fazer uma boa faxina financeira e buscar a verdadeira causa, resolvendo de vez esta dificuldade", aponta.

Sendo assim, se o cheque especial passou a fazer parte dos ganhos mensais, o educador financeiro descreve que, além das causas que motivaram a utilização das linhas de créditos, a pessoa precisa se levantar priorizando seus sonhos ou apenas e pensando no futuro com uma aposentadoria estável. "Reflita e realize um diagnostico financeiro. Acredite que, independente do problema financeiro, é sempre possível achar uma solução, que passa pela conscientização e pela reeducação financeira".

Para quem se encontra inadimplente é hora de parar, refletir e praticar quatro passos, destacados por Reinaldo Domingos. Acompanhe:

Passo 1: faça um diagnostico financeiro por 30 dias para descobrir para onde está indo cada centavo do dinheiro. Sempre existe excesso dentro de tudo que consumimos em média de 20%. Portanto, se apontar todas as despesas nesse período encontrará muitos exageros.

Passo 2: estabeleça os sonhos e desejos pessoais e coletivos. Reúna a família e coloque na mesa o que se quer realizar nos próximos tempos. Todos da família querem e desejam alguma coisa, por isso até as crianças devem estar nessa reunião. Lembre-se: para cada sonho é preciso saber o quanto custa, o quanto vai ser guardado e em quanto tempo.

Passo 3: faça um orçamento que priorize sonhos e desejos. Por exemplo: Ganho (-) sonhos (-) despesas. Depois será preciso guardar dinheiro antes de sair gastando. Se estiver endividado, um dos sonhos será sair das dividas, mas não o único. Crie o habito de poupar no mínimo três sonhos de curto prazo (até um ano), médio (até dez anos) e de longo prazo (acima de dez nos).

Passo 4: poupe. Sabe onde guardar dinheiro para os sonhos? A resposta é: dependerá do tempo de cada sonho. Curto deverá guardar na caderneta de poupança; médio CDB, tesouro direto ou fundo de investimentos; e de longo prazo previdência privada, social, tesouro direto.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente