Planejamento financeiro para 2014: comece o ano no azul!

Planejamento financeiro para 2014

Foto: Tammy Hanratty/Corbis

É complicado administrar o dinheiro durante as férias de fim de ano, por conta das festas, dos presentes etc. Por isso, o que devemos fazer para começar bem o próximo ano para enfrentar IPTU, IPVA, escola das crianças e as mais diversas cobranças sem se enrolar toda? Para não começar o novo ano no vermelho é preciso muita força de vontade, que deve começar com bom planejamento financeiro para 2014.

É importante que você conheça sua receita e suas despesas - não só no fim do ano, mas especialmente nessa época. O economista Richard Rytenband, especialista em investimentos, conta: "A partir desta noção podemos determinar qual o padrão de vida adequado à nossa realidade. Quem vive acima das possibilidades é um forte candidato a se tornar o próximo endividado".

Além de pesquisar os melhores preços para as festas de Natal e Ano Novo e negociar bem os presentes em casa, cuide para que lhe sobre algum dinheiro para investir e aumentar sua fonte de renda. Se não tem qualquer experiência em investimento, opte pelos de renda fixa, como o CDB (Certificado de Depósito Bancário) ou o Tesouro Direto. E, na dúvida, consulte um especialista que explique exatamente como funciona cada coisa.

Um problema que costuma nos pegar na curva são as compras parceladas. Aquele eletrodoméstico, com parcelinhas que cabem no bolso, acaba dando dor de cabeça quando as parcelas se encavalam e se juntam a outras contas e dívidas. "Neste ciclo vicioso é questão de tempo para o descontrole financeiro. Para evitar, a fórmula é simples: viver conforme as possibilidades no presente", explica Richard.

Por isso, dê preferência às compras à vista ou com uma boa entrada para que as parcelas não se estendam até você mal lembrar o que é que está pagando. Fuja de parcelamentos no cartão, principalmente com débito automático, porque você terá o orçamento cortado, não vai notar a dívida (por não estar em contato direto com o pagamento) e vai acabar acumulando mais débitos em cima do anterior, complicando ainda mais o orçamento.


Para melhor alcançar seus objetivos no próximo ano, inicie desde já algum plano de construção de riqueza, sem deixar de lado o controle das despesas. Até porque você precisa ter certa quantia para investir e estando endividada, esse dinheiro não existe.

É preciso muito foco e disciplina para ir na contramão do consumismo, não se render às compulsivas compras de fim de ano e, ainda, arrumar dinheiro para investimentos. Mas pense que, nos próximos natais, você poderá gastar mais sem se preocupar tanto, porque garantiu uma fonte a mais de renda e terá uma graninha extra.

Não pense apenas no agora e garanta um futuro seguro, tanto para você quanto para seus filhos. Como indica o economista: "Antes de consumir como rico, produza como rico".

* Serviço: Economista Richard Rytenband.

Por Juliany Bernardo (MBPress)

Comente