Pense em fazer dinheiro, não em ganhar dinheiro!

Há diferenças muito maiores na escolha desses dois verbos do que uma simples decisão semântica. São questões de atitude, de crenças, de postura. Questões que fazem a diferença entre quem tem potencial para ficar rico ou para continuar na mesma situação.

Começando pela análise da postura, fazer dinheiro passa a idéia de atividade, iniciativa, decisão, empenho. Posturas que diferenciam as pessoas que correm atrás daquelas que ficam apenas esperando pelo destino.

O ganhar dinheiro muitas vezes fica associado à sorte, a passividade e à decisão de terceiros sobre o seu próprio destino financeiro. Esse parágrafo isoladamente já esclarece e representa o suficiente para que cada um reflita sobre a postura que deve adotar em relação às suas finanças.

A crença de que o dinheiro nasce em árvores nos foi tirada ainda na primeira infância. Mas, metaforicamente falando, parece que ainda há muita gente que acredita nisso. Ouve-se reclamações sobre a falta de dinheiro, algumas colocações às vezes invejosas sobre os ganhos do vizinho, mas o que se observa em certos casos são pessoas que limitam-se a fazer o que lhes é pedido ou a pegar os cavalos encilhados que passam na frente da porta. Muitas vezes nem isso.

Esperam o que? Ganhar mais? Ser mais valorizados? Melhorar a situação financeira? Sabemos todos que, salvo raras exceções, o sucesso, incluindo o financeiro, é feito de um mix de inspiração e transpiração. Inspiração está relacionada à criatividade, à inteligência e até à genialidade. Como nem todos temos o privilégio de ter esses dons acima da média, podemos compensar com a segunda parte: a transpiração.

Nosso dia é igual ao de todos. São vinte e quatro horas. Existem coisas sagradas como o tempo da alimentação, da higiene, do descanso, do lazer, da família, dos amigos, mas também têm as horas da ociosidade. Podemos escolher entre ficar dormindo, na mesa de um bar, na frente da televisão ou estudando e produzindo. Cada um faz a sua escolha. E cada um colhe aquilo que planta. Alguns esperam ganhar dinheiro. Outros decidem fazer dinheiro. Quem conseguirá juntar mais? Em qual grupo você quer estar?

Podemos também fazer benchmarking. Os pedintes, que vivem de esmolas, pedem dinheiro, na esperança de ganhar o suficiente para comer e outras necessidades.

Os norte-americanos, independente da crise ou de quem goste ou não deles, são o povo mais rico do mundo. Coincidência ou não, também são os mais empreendedores e os que mais investem no marketing pessoal. O verbo que eles utilizam para gerar renda é o fazer - to make money.

Sei que este já é um discurso recorrente no meio profissional, mas para o público leigo em finanças, para o qual escrevo, é uma abordagem ainda inexplorada. Resolvi fazer a partir de um questionamento recebido por e-mail do Ricardo (nome fictício), dentista de São Paulo, perguntando porque ele não conseguia melhorar sua situação financeira, apesar de ser muito econômico e ser um poupador quase que compulsivo. A resposta, para esse caso e para o de tantas outras pessoas, é que não se chega a outros lugares seguindo sempre pelo mesmo caminho. Não basta economizar e poupar. É preciso fazer dinheiro.

Álvaro Modernell é colunista de Finanças Pessoais do Vila Sucesso. Palestrante, consultor, autor de livros e sócio da Mais Ativos Educação Financeira, esse especialista te ajudará na tarefa de lidar com o dinheiro

Comente