Pegadinhas do Imposto de Renda

Muita gente tem medo de cair nas garras do Leão. Não por menos, ter a declaração retida pode significar muita dor de cabeça. Dados históricos da Receita Federal mostram que cerca de 500 mil contribuintes caem todos os anos na malha fina, sendo que as declarações que apresentaram falta de qualidade nas informações prestadas ao fisco representam 10% desse total.

Muitas vezes por esquecimento ou omissão de alguma informação que não considera importante, o contribuinte pode cair na malha fina. Entre os erros mais comuns estão a falta de conhecimento das mudanças no Imposto de Renda, a falta de documentos necessários ou a não declaração dos seguintes itens: aquisição de veículos novos, de imóveis adquiridos e de aluguéis recebidos. Movimentação bancária elevada e uso do cartão de crédito desproporcional ao rendimento mensal irão gerar desconfiança e provocar a retenção da declaração.


De acordo com o presidente do CRC SP (Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo), Domingos Orestes Chiomento, "em caso de recorrer a um profissional especializado, é fundamental que o contribuinte entregue toda a documentação necessária como recibos e notas fiscais relativos a serviços médicos, dentistas, fisioterapeutas, comprovantes de pagamentos à previdência privada, instituições de ensino regular, doações para fins de incentivos fiscais, informes de rendimentos financeiros".

Lembrando que este ano o Imposto de Renda deverá ser entregue à Receita Federal até o dia 29 de abril. Vale ressaltar que quem declarar primeiro será restituído mais rápido.

Por Lívany Salles

Comente