Patrocine um filme e deduza o valor do IR

Bárbara Abramo em entrevista para o documentário E

Entrevista com Bárbara Abramo/ Foto: Divulgação

Que tal patrocinar um documentário, ver seu nome nos créditos finais e ainda ter o valor da contribuição deduzido do Imposto de Renda? Pela primeira vez no Brasil um filme utiliza o conceito de financiamento colaborativo (crowdfunding) para ser viabilizado. Trata-se do Eu Maior, aprovado na lei do Audiovisual, que traz à tona uma reflexão simples e indispensável: a busca da felicidade.

Para participar, basta acessar o site e contribuir com cotas de R$ 100, que poderão ser abatidas integralmente do Imposto de Renda. O dinheiro será depositado em conta bancaria aberta e supervisionada pela Ancine (Agência Nacional de Cinema).

O patrocinador terá direito a um ingresso para a pré-estreia do filme, prevista para setembro deste ano, além da participação em sorteios de brindes e livros dos entrevistados. Até o momento, foram arrecadados R$ 88,4 mil da meta estabelecida de R$ 200 mil.

O filme traz entrevistas com pessoas de diferentes áreas, incluindo líderes espirituais, intelectuais, artistas e esportistas. Pessoas com diversas vivências compartilhando conhecimentos, opiniões e lições de vida. Entre eles, a astróloga Bárbara Abramo, o fotógrafo Araquém Alcântara, Monja Coen, Professor Hermógenes, o médico Paulo de Tarso Lima e o teólogo Leonardo Boff.

Sendo assim, o incentivo fiscal é um motivo a parte para colaborar. A paixão pelo cinema ou por assuntos relacionados ao autoconhecimento podem ser motivos suficientes para apoiar essa e outras causas, o que já acontece com frequência em outros países.

Por Lívany Salles

Comente