Passageira é indenizada por bagagem com vestido de noiva extraviada

Extravio das malas  o que fazer

Imagine o que é você passar meses planejando uma viagem de lua-de-mel fora do país e, ao chegar ao destino, perceber que sua mala - onde está o tão sonhado vestido de noiva - foi extraviada? Pois é, foi justamente por este drama que passou a brasileira Christiana Niero ao viajar para Roma.

A noiva entrou com processo por danos morais contra a Alitalia e, por decisão do desembargador Marcelo Lima Buhatem, da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, a companhia aérea italiana terá que pagar indenização de R$ 8.000 à passageira.

Na programação de Christiana Niero estava não só passar sua lua-de-mel em Roma, mas também receber uma benção em audiência com o papa Bento 16. Assim que percebeu o sumiço da mala, a brasileira contatou a empresa, que lhe entregou um documento para explicar o conteúdo e um kit com uma blusa branca, escova de dentes e pente. A mala foi devolvida três dias depois, ou seja, no último dia da estada de Christiana na cidade italiana.

A Alitália recorreu, alegando que a mala havia sido devolvida intacta à passageira. Porém, o desembargador alegou que extravio e perda de bagagem acarretam aborrecimentos que extrapolam o tolerável pelo consumidor.

Dicas importantes

Se isso acontecer procure imediatamente o balcão da companhia aérea ou as seções de aviação civil dos aeroportos, e em nenhum momento perca o tíquete emitido na hora do check-in.

Faça uma declaração de bens na Polícia Federal e guarde o comprovante, dessa forma você poderá provar os bens que estão dentro das malas. Dinheiro e joias não contam, pois devem estar sempre na bagagem de mão. Após 30 dias sem a bagagem, ela já é considerada perdida, e você tem direito a receber uma indenização.


É indicado colocar uma etiqueta sua nas malas (fitinhas coloridas ou colantes coloridos). Isso será útil quando você for identificar a mala na esteira do aeroporto. Na bagagem de mão leve uma muda de roupa e não coloque muitos pertences, sempre é bom guardar um espacinho para as compras de última hora.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente