Financiamento de pacotes turísticos. Será?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Financiamento de pacotes turísticos Será

Já que trabalhar é inevitável e tirar férias, fundamental, nada como viajar para recuperar as energias. E se a grana está curta, uma luz no fim do túnel pode salvar seus dias de folga. Com um bom planejamento financeiro, é possível financiar pacotes turísticos sem se afundar em dívidas futuras.

Para isso, hoje em dia existem linhas de crédito bancárias específicas. É o que ocorre, por exemplo, na Caixa Econômica Federal, que este ano firmou contrato com a TAM para financiar viagens. A opção é válida até para quem não é correntista do banco.

O financiamento chega a R$ 10 mil que podem ser pagos em um prazo de até dois anos, sendo a primeira prestação em até 63 dias após a contratação nas lojas da TAM Viagens. Basta apresentar carteira de identidade, CPF, comprovante de renda e de residência que a aprovação do crédito é feita no ato da compra do pacote turístico.

Mas...

Como o custo total de uma viagem não se concentra apenas na compra do pacote turístico, antes de aderir ao financiamento é preciso levar algumas questões em consideração. Assim, quando as férias acabarem, dívidas inoportunas não te deixarão perder o sono.

A consultora de finanças pessoais e colunista aqui do Vila Sucesso, Suyen Miranda, lembra que o planejamento de uma viagem inclui também guardar uma reserva para os gastos que certamente acontecem durante o período, como passeios extras, um jantar especial, compras e diversão.

"Por isso, se a viagem for financiada, será preciso programar o pagamento das parcelas nas datas corretas para não gerar juros e multa. O valor da prestação da viagem tem que caber folgadamente no orçamento, pois é uma despesa de lazer, e portanto não pode onerar a ponto de causar atrasos no pagamento dos compromissos regulares mensais, como aluguel, prestação da casa, luz, telefone, escola ou mesmo gasto com alimentação".


A viagem, ela ressalta, é um adicional que não pode se tornar o problema principal. "Se a viagem desejada ficar muito cara, pense em opções tão boas quanto a custo mais baixo, com um hotel mais em conta, ou num roteiro acessível. O importante é não esquecer que a viagem dura um tempo definido, mas o financiamento seguramente levará mais tempo do que a viagem em si, portanto... todo cuidado é pouco!".

Por Adriana Cocco

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente