Os custos de um carro

Os custos de um carro

Só de pensar na praticidade e no conforto, às vezes nos esquecemos que manter um carro vai muito além de colocar combustível e pagar as prestações do financiamento. Um sonho que pode virar uma armadilha de consumo se não for bem planejado, se a decisão não for bem avaliada e se a reserva de dinheiro não for suficiente para cobrir possíveis gastos extras.

O educador financeiro Reinaldo Domingos aponta que a facilidade dos financiamentos traz a falsa ideia de que este será o único gasto, sem levar em consideração que a manutenção muitas vezes supera o valor da prestação.

"Se colocarmos no papel o gasto com o veiculo como: combustível, seguro, IPVA, DPVAT, manutenção, depreciação, estacionamentos, lavagem e eventuais multas, ao final do mês, veremos que ele será responsável por grande parte dos custos de nosso orçamento", afirma o educador.

Segundo ele, se somente o custo mensal fosse aplicado em uma poupança ou previdência privada, ao final de 84 meses (equivalente a 7 anos), renderia o suficiente para a aquisição de uma casa própria. Porém, se ter um veículo for realmente indispensável, o uso deve ser de forma racional, sempre pensando em alternativas como revezar carona ou utilizar o transporte público quando possível. Além disso, o combustível deve ser sempre de boa qualidade.


Um levantamento realizado pelo Cefipe (Centro de Estudos de Finanças Pessoais e Negócios) comparou os custos que incidem sobre um carro de R$ 40 mil. "Se o consumidor optasse pelo táxi no lugar do carro faria até mesmo economia de dinheiro, além de ficar livre de multas, zona azul, estacionamentos e, no caso de uma batida no trânsito, ter de pagar a franquia do seguro", conclui Reinaldo.

Por Lívany Salles

Comente