Olho aberto com o crédito rotativo!

Olho aberto com o crédito rotativo

O crédito rotativo parece, mas não é nada daquilo que o banco parece oferecer. O que na verdade se mostra como uma vantagem - pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito em um mês e pagar o resto nos próximos meses, com mais crédito - é, na verdade uma grande cilada.

"O que o banco não fala é que essa ação oferece os piores juros do mundo e a dívida pode duplicar. As pessoas acham que é um bom negocio, porque pagam o mínimo, e nos meses seguintes têm mais crédito. Mas esses juros chegam a ser 300% ao ano", alerta Antonio De Julio, especialista de finanças do MoneyFit.

E o risco de investir no crédito rotativo não é apenas o de contrair uma dívida infinita: você pode ter seu nome inscrito no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e ficar impedido de fazer algumas compras ou pedir alguns financiamentos.


Portanto, o conselho de De Julio é radical: "Nunca caia no crédito rotativo. Uma vez que você investe, você toma um tombo. Faça o que seja compatível com a renda". E ainda alerta sobre o uso de cartões de crédito: "Procure ter, no máximo, um cartão ou dois, no caso de viagem ou por segurança, pois, geralmente, você pega dois cartões com duas datas de vencimento diferentes e, a partir do segundo mês, a vantagem some, porque você adquire dívidas para todos os dias", orienta o especialista.

Por Bárbara Ariola

Comente