O que rende mais na Nota Fiscal Paulista?

Chega de comprar muito e não ganhar nada. Saiba o que dá mais na Nota Fiscal Paulista e boas compras!

Foto - Shutterstock

Com a popularização da Nota Fiscal Paulista, ficou realmente mais difícil ganhar créditos em dinheiro nas compras com CPF na nota. O programa permite que os consumidores que inseriram seu CPF em notas fiscais de compra de mercadorias possam repartir o bolo de 30% do ICMS recolhido pelo estabelecimento ao final de cada mês. 


Isto parece ótimo, mas muita gente reclama que gastou demais e não viu nem a cor dos créditos. Por que isso acontece? Talvez a resposta esteja nas compras que você faz.

Alguns estabelecimento vendem muitos produtos inseridos no regime de substituição tributária e acabam dando direito a pouca ou nenhuma restituição de ICMS. 

Quando você for pedir CPF na nota deve apostar nos setores mais "rentáveis". Veja na lista abaixo quais são eles segundo a revista Exame:

Lojas de roupa

Por não sofrer substituição tributária, nem redução ou isenção de ICMS, produtos de vestuário são tributados à alíquota de 18% do imposto, gerando bons créditos ao consumidor.

Lojas de calçados

Pela mesma lógica aplicada às roupas, os calçados também costumam gerar mais créditos. E considerando que alguns sapatos podem ser mais caros do que peças de roupa, é possível obter um retorno ainda mais robusto com esse tipo de compra.

Lojas de cama, mesa e banho

Ainda que talheres e outros utensílios de cozinha não rendam créditos, lençóis, toalhas de mesa e banho e edredons proporcionam bons retornos aos compradores.

Petshops

Ração animal é um dos produtos que entra na lista de créditos zerados, mas se a compra for feita em um pet shop que comercialize diversos outros produtos, como coleiras, casinhas e outros acessórios para animais, as notas podem trazer altos créditos. 

Óticas

Sem a tributação antecipada na fábrica, as óticas são mais um exemplo de estabelecimento no qual você não deve esquecer de pedir sua nota. E considerando que os óculos, lentes e armações podem ter preços altos, os retornos podem ser ainda maiores.

Joalherias

As joalherias se beneficiam por ter um produto com preço médio mais alto e por ter menos clientes dividindo os créditos. Além disso, também são estabelecimentos que não sofrem substituição tributária e isenções fiscais.

Lojas de acessórios

Tributados como peças de vestuário, os acessórios também costumam render bons créditos. Além de bijuterias, chapéus, lenços, bolsas, cintos, perucas e até fantasias de carnaval são enquadrados no segmento de vestuário.

Restaurantes, bares e lanchonetes

Restaurantes, bares e lanchonetes são bons geradores de créditos, mas só não são melhores por dois motivos. Todas as bebidas, inclusive as alcoólicas, sofrem substituição tributária. E muitos estabelecimentos são pequenas e médias empresas enquadradas no Simples Nacional, cujas tributações são reduzidas. É por isso que grandes redes de restaurantes costumam gerar mais créditos do que um boteco de esquina.

Móveis

Eletrodomésticos e eletroeletrônicos não rendem créditos, por serem tributados antecipadamente, mas as mobílias, como cadeiras e mesas, rendem notas com créditos razoáveis. É por isso que, ao comprar uma televisão em uma loja que vende também móveis o cliente pode ganhar créditos.

Por Thamirys Teixeira 

Comente

Assuntos relacionados: dinheiro nota fiscal paulista