O mercado democrático dos esmaltes

O mercado democrático dos esmaltes

Nail Fashion Week. Foto/Divulgação

Manter as unhas sempre pintadas e enfeitadas é lei entre as brasileiras. As cores são as mais variadas possíveis. Para chamar atenção das consumidoras, as marcas capricham nos nomes. "Deixa beijar", "Noite quente", "Nunca fui santa", "Atrevida" e "Beijos no escurinho" são os mais ousados. Para as mais recatadas, há o "Noivinha", "Fada" e "Bombom".

A crise financeira passou longe do mercado de esmaltes. Ao contrário de outros setores ligados à beleza, a venda de esmaltes cresceu 49%, se comparada aos números de 2009. Esse fenômeno vem se repetindo desde 2007. Em 2010, o acessório da moda movimentou mais de R$ 500 milhões. Estima-se que 526 milhões de frascos foram vendidos, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). A expectativa é de 616 milhões de unidades em 2011.

O que facilita a movimentação de mercado é a falta de patentes de cores. Assim, marcas nacionais imitam, sem problemas, cores das gigantes internacionais. A internet também ajudou bastante no processo de popularização do produto. Surgiram blogs especializados e empresas passaram a vendar online. Lojas como a Picnicdric, localizada na zona sul da capital paulista, oferecem a possibilidade de pintar as unhas no próprio local. Colorir as unhas com cores da Dior custa R$ 35, levar o frasco para casa sairia R$ 75.

A empresária Luciane Chalegao decidiu aproveitar o bom momento e criou o Lilac Nails, um salão exclusivo para unhas. Ele funciona a partir das 8h e só fecha às 20h. O valor da manicure varia entre R$ 20 e R$ 35 para mulheres adultas. Crianças até 12 anos e homens têm preços especiais, R$ 15 e R$ 18 respectivamente. A cartela de cores conta com marcas nacionais e internacionais.

Outra prova do sucesso desse mercado é o Nails Fashion Week (NFW), o primeiro desfile de esmaltes do mundo. O evento ocorreu nos dias 08 e 09 de junho no espaço Villa dos Ipês, em São Paulo. A idealização foi das empresárias Luciana Medeiros e Adrianne Elias. Seis marcas se apresentaram no evento e mais de 1.800 pessoas prestigiaram o desfile. A segunda edição já tem data marcada: junho de 2012.

Lu Medeiros revela que a inspiração para criar o NFW veio de um vídeo produzido e postado por uma blogueira. Dedinhos desfilavam as cores, simulando as pernas de modelos na passarela. Sobre os motivos pelos quais São Paulo foi escolhida como sede, a empresária afirma: "É o centro dos negócios no Brasil e um mercado internacionalmente conhecido de moda, e consideramos o esmalte um acessório importante de moda".


A empresária considera esmaltes o acessório mais democrático que existe, pois os valores variam de R$ 2 a R$ 90. "Hoje muitos estilistas se preocupam com a cor ou estilo das unhas nos desfiles. Então, a mulher antenada, que gosta de moda e tendências, se não pode usar a roupa do estilista famoso, pode pelo menos usar a tendência das unhas apresentadas", conclui.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente