No nome da mulher!

No nome da mulher

Não é novidade que cada vez mais as mulheres se tornam chefes de família. As estatísticas comprovam: os dados mais atualizados do IBGE (2007) mostram que o número de mulheres chefes de família cresceu 79% entre 1996 e 2006, passando de 10,3 milhões para 18,5 milhões nesse período.

O problema é que quando as mulheres se separavam e se tornavam as chefes da casa elas, muitas vezes, acabavam desamparadas já que normalmente a maioria dos bens estava no nome do marido. Mas isso tem mudado gradativamente, já que há iniciativas interessantes como a da CDHU que, há alguns anos, registra a escritura do imóvel em nome da mulher.

O superintendente de atendimento habitacional da CDHU, Célio Noffs, explica que antigamente era comum que o marido, dono do apartamento, quando terminava o casamento colocava a mãe junto com os filhos para fora de casa, o que deixava uma família inteira desamparada. Notando isso, a CDHU mudou a maneira de fazer a escritura. "O objetivo é amparar a família e deixar o apartamento não para apenas uma pessoa, no caso da separação."

Noffs explica que atualmente a CDHU faz tudo no nome da mulher, até os boletos vem no nome dela de maneira automática. "Nós já notamos resultados bem positivos desta mudança. Os apartamentos quase sempre ficam com a família."


Além da CDHU, a mudança já começa a aparecer em outros locais. O Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal e a Prefeitura de Guarulhos já agem da mesma maneira. Vamos torcer para que não pare por aí!

Por Larissa Alvarez

Comente