Não tire o seu dinheiro da poupança

A poupança continua sendo ótima opção para 90% dos brasileiros. A maioria dos consultores e profissionais da área de finanças custa a admitir isso. Talvez porque seja uma solução tão simples que dispensa a própria atuação deles. Mas quando paramos para pensar, vemos que essa é realmente a melhor opção para a maioria da população, especialmente quando pensamos nas famílias de baixa e média renda e nos mais conservadores, que também representam maioria entre os investidores.

Aproveite que o tema voltou a fervilhar na imprensa, leia este artigo até o final, compare com outras opiniões e tire suas próprias conclusões.

Com ou sem as mudanças anunciadas pelo Governo, as contas de poupança continuarão sendo a melhor alternativa para quem se identifica com os grupos abaixo.

Se você está nesses grupos, relax! Continue investindo na preferência nacional.

Veja em quais situações, e porque, a poupança continua sendo a preferência nacional:

- Para quem tem pouco dinheiro

Ainda que para você seja uma grande vitória ter juntado três ou quatro mil reais para investir, vamos convir que esse não é um valor representativo no mercado financeiro. Você pode deixar seu dinheiro na poupança sem peso na consciência.

- Para quem tem dinheiro disponível por pouco tempo

Se você pretende usar o dinheiro nos próximos meses, não vale à pena se aventurar em outras opções. A volatilidade dos mercados e a tributação podem apresentar surpresas negativas. Outros produtos podem ter rendimento bruto maior, mas quando deduzidos os impostos o rendimento líquido fica menor do que o da poupança.

- Para quem ainda não entende muito de investimentos

Colocando na ponta do lápis, para quantias até cinco mil reais e pequenos prazos, menos de um ano, o potencial de diferença dos rendimentos líquidos entre a poupança e seus principais concorrentes de baixo risco (Tesouro Direto, renda fixa e fundos conservadores) são equivalentes ao que alguém poderia economizar levantando mais cedo da mesa de um bar uma única vez no ano. Ou seja, dá para economizar o mesmo valor simplesmente evitando mais uma ou outra cervejinha de vez em quando.

- Para quem gosta de simplicidade

Não existe investimento mais simples do que a Poupança.

- Para quem está começando a poupar

Use a poupança como porta de entrada e meio de acúmulo de recursos. Quando você tiver bastante dinheiro disponível aplicado na poupança, terá chegado a hora de buscar alternativas. Até lá, concentre-se em ganhar dinheiro trabalhando e estude mais sobre o mercado financeiro.

- Para investir a mesada das crianças

É um produto sob medida para auxiliar na educação financeira das crianças. Fácil de depositar, de controlar e de mostrar a elas. Além disso elas podem ser também titulares das próprias contas, o que ajuda no seu envolvimento pessoal.

- Para quem não gosta de acompanhar os investimentos

Nesse caso, fuja da maioria deles. Ou você cuida atentamente do seu dinheiro, ou deixe ele na poupança.

- Para quem pode precisar do dinheiro a qualquer hora

A poupança continua oferecendo liquidez diária. Procure adiar as retiradas para depois dos aniversários. O rendimento é pouco, mas é seu. E pouco é muito mais do que nada.

- Para quem não gosta de pagar tarifas e impostos

Apenas as contas de poupança oferecem isso também aos pequenos poupadores. E continuará assim para 99% dos poupadores, cujo saldo é inferior a R$ 50 mil.

- Para quem gosta de dormir tranqüilo

Rendimento garantido e fundo garantidor de depósitos para saldos até R$ 60 mil.

Enfim, ainda que você ouça ou leia teses financeiras que comprovem que a poupança não é um bom investimento, pense se a situação se aplica à sua realidade. E de qualquer forma, a maioria dessas teses inclui orientações sobre diversificação. Pelo menos para isso a boa e velha poupança continuará sendo uma ótima opção.

E quando a soma dos seus investimentos já estiver preocupando a ponto de achar que a poupança está deixando de ser a melhor opção, invista primeiro em educação financeira. Não saia por aí se aventurando. Não faça como muita gente que conheci em 2008, pessoas desesperadas porque tinham raspado a poupança para “ganhar” dinheiro na Bolsa. E a “bolsa furou”, naquele ano.


Lembre-se que para cada tipo de carne existe um tempo certo de cozimento e um tempero mais apropriado.

Para quem mora no campo e precisa trafegar por estradas de terra, mais vale um Jeep velho do que uma Ferrari zerada. A conta de poupança não é a melhor opção para grandes e médios investidores. Também não é para investidores mais experientes.

Mas e você, está entre eles?

Álvaro Modernell é colunista de Finanças Pessoais do Vila Sucesso. Palestrante, consultor, autor de livros e sócio da Mais Ativos Educação Financeira, esse especialista te ajudará na tarefa de lidar com o dinheiro.

Comente