Motel: quem paga a conta?

Motel quem paga a conta

Foto: Ant Strack/Corbis

No campo dos relacionamentos certas regras de etiqueta sofreram mudanças por conta das novas condições financeiras das mulheres. Mais donas de si, elas não se intimidam e abrem a carteira para ajudar a pagar a conta do restaurante ou do cinema. Mas quando o assunto é motel, o jeito de agir pode ser outro.

É importante lembrar que o prazer será desfrutado pelos dois, mas esse argumento nem sempre convence todas as mulheres a tirarem dinheiro do bolso para ajudar a pagar a conta do motel. "Penso que tudo deve ser conversado e combinado. Um deve saber como o outro pensa e essa atitude varia de acordo com o casal", diz Eliete Amélia de Medeiros, psicóloga e diretora da Agencia de Relacionamentos Eclipse Love.

Eliete acha ainda que tais regras podem ser estabelecidas tendo como base o grau de envolvimento. Para os ficantes, por exemplo, nada mais justo que dividirem a conta. Afinal, ambos não têm compromisso afetivo e estão desfrutando do prazer.

"Já com namorados e casados, uma ida ao motel me parece que a mulher quer se sentir conquistada e o homem, o conquistador. Então vejo que muitos casais combinam de o parceiro pagar o motel e, em troca, a parceira pagar outra coisa, como o restaurante, o cinema etc."

Certas questões culturais ainda povoam os pensamentos de muitas solteiras, independente do saldo de conta bancária. E uma delas é a que determina que o pretendente tenha boas condições financeiras. Eliete avalia que a exigência das mulheres hoje em dia é ter ao seu lado um homem que ganhe igual ou mais que elas. Já os homens não se preocupam tanto com isso.

"Algumas mulheres comentam comigo que não se importam em pagar as contas, mas não querem sustentar um homem ou pagar mais contas que ele." Soma-se a isso o jogo de interesses que move algumas relações hoje em dia. Ninguém quer ter do lado alguém interessado somente na situação financeira da outra parte.


Outro ponto que ainda norteia o pensamento feminino é o de que um homem endinheirado pode trazer segurança. Caso haja uma repentina mudança de vida (uma perda de emprego, por exemplo), a mulher pode contar com a condição financeira do parceiro para manter seu padrão de vida até que seu lado profissional entre novamente nos eixos.

"Desde o começo dos relacionamentos, o homem era o caçador e o provedor. Culturalmente ele se sente bem podendo manter e proteger a família. E a mulher sempre gostou de se sentir segura por um homem em todos os sentidos", ressalta a psicóloga. "Um homem com uma condição financeira ruim pode afetar o lado emocional de uma mulher independente", analisa.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente