Monitore seus extratos e não entre no vermelho

Monitore seus extratos e não entre no vermelho

Controlar as finanças para no final do mês não estar no vermelho pode parecer chato, mas é a única forma de manter o seu dinheiro sob rédeas curtas. “Qualquer tipo de ação que envolva dinheiro deve ser controlada. As pessoas precisam aprender que dinheiro não aceita desaforo”, afirma o educador financeiro Reinaldo Domingos.

Para dominar as finanças é necessário que uma boa análise seja feita. Fazer um diagnóstico financeiro pessoal e familiar é vital para ter uma boa gestão financeira. Por isso é importante analisar alguns pontos:

Registre tudo o que gasta - Não importa como você o fará, juntando todos os recibos e boletos, anotando em papeizinhos. O importante é descrever minuciosamente todo o gasto feito com o seu dinheiro, pois só assim poderá ter uma visão clara de onde ele foi parar.

“É de extrema relevância avaliar o valor do dinheiro em longo prazo. Por exemplo: se eu gasto R$ 3 por dia, no prazo de 30 anos, o montante acumulado será de 300 mil. Valor considerável para ser avaliado”, ressalta o educador financeiro.

Conferir extratos - Se você seguiu as instruções acima e guardou todos os boletos, um extrato bancário mensal é o suficiente para avaliar a sua conta. A internet também é uma ótima ferramenta para ajudar nesse controle.

“Avaliar as dívidas mês a mês é a única maneira de não descontrolar e ficar dentro do orçamento”, diz Domingos.

Como pagar - Se você tem dinheiro, opte por pagamentos à vista. O cartão de débito é a melhor opção hoje em dia. Mas, se você precisa comprar algo e não tem dinheiro, comprar no cartão de crédito ainda é a melhor alternativa. Se conseguir parcelar sem juros, ela sairá numa vantagem ainda maior.

“Comprar à vista é sempre melhor. O imediatismo é um perigoso vilão para quem pretende poupar. Quando compro algo financiado ou parcelado, devo ter em mente que eu poderia compra dois, pois há o acréscimo de juros sobre o produto”, observa.

Evite o cheque especial - Os passos acima ensinam você a não cair na armadilha do cheque especial. Mas para ressaltar que as linhas de crédito não trazem benefícios, queremos lembrar que os juros cobrados por esses serviços chegam a 10 % ao mês.

“Se você não tem dinheiro na conta, evite usar o cartão de débito, pois você irá direto para o cheque especial. Não pagar a fatura do seu cartão de crédito também coloca você a frente dessas linhas de crédito, podendo ser cobrados até 12% de juros ao mês”, finaliza o educador.

Comente