Livro ensina como fazer o dinheiro ganhar músculos

Livro ensina como fazer o dinheiro ganhar músculos

Nas principais estantes das livrarias de todo o país há publicações sobre finanças. Uns apontam os investimentos mais rentáveis. Outros culpam o leitor por não ter começado a poupar no dia em que nasceu. Outros ainda apostam no poder da mente. E há alguns meses tem feito sucesso um livro que compara o dinheiro a uma academia: o Money Fit.

Mas o que é esse tal de Money Fit? "É uma analogia entre finanças e o condicionamento físico. Usei aquelas famosas fichinhas da academia, que trazem as séries de exercícios, para criar um programa que dura 12 semanas", explica o autor do livro, André Massaro. A cada etapa, o leitor tem uma meta a seguir e, com o tempo, as atividades ficam mais elaboradas. "Ao final, ele não ficará rico, mas certamente vai adquirir uma visão mais abrangente sobre as próprias finanças. E se tornará mais capacitado para explorar boas oportunidades de fazer o dinheiro render", completa.

O administrador especialista em finanças e pós-graduado em Economia é um "rato" de livraria. E achou que faltava nas prateleiras uma obra que apresentasse ao público leigo maneiras práticas e eficientes de fazer o dinheiro render. Segundo Massaro, é preciso combater a visão de que é possível ficar rico economizando. "Aquele clichê ‘se você não tivesse tomado aquele cafezinho, hoje moraria em uma cobertura’ é matematicamente correto, mas não é prático. Ninguém tem essa disciplina. Essa declaração gera culpa nas pessoas", diz.

Mas André tranqüiliza os aspirantes a milionários dizendo que, segundo informações que colheu no Sebrae, os empresários que hoje estão na lista dos mais ricos quebraram três vezes antes de alcançarem o sucesso. Isso prova que as pessoas quebram, devem e depois ficam estáveis. "A pessoa que tem contas para pagar precisa se organizar. Tem que mostrar serenidade para encontrar oportunidades. Aproveito aqui para fazer uma analogia entre educação financeira e alquimia: ‘para fazer ouro tem que ter ouro’. E para fazer o dinheiro crescer é preciso ter algum dinheiro, um capital de giro".

Falar de dinheiro não é chato!

Quem quer ver seu dinheiro crescer tem que primeiramente parar de falar que finanças é um assunto chato. Com isso, mandamos para o nosso cérebro a mensagem de que não gostamos de dinheiro. E foi para deixar o assunto mais leve que Massaro resolveu comparar o dinheiro e uma a academia: "Quando queremos entrar em forma, fazemos avaliações físicas para saber como podemos nos exercitar, certo? Com o dinheiro é a mesma coisa. A diferença é que, lendo o livro, a pessoa pode fazer essa avaliação financeira sozinha, sem ajuda de um ‘personal’".

O processo para fazer o dinheiro render funciona como um controle, um acompanhamento de como esses valores são utilizados e aplicados. A sugestão do administrador é criar uma planilha eletrônica ou um caderno para enumerar os gastos e tentar equalizá-los, eliminando o que é supérfluo e planejando formas de se ganhar mais. "Não podemos deixar a vida financeira largada. Dedicar cinco minutos diários para as finanças faz com que reservemos 23 horas e 45 minutos para aumentar a renda", declara.

Enquanto a riqueza não entra pela porta da frente, o segredo é não passar sufoco. Para isso, André afirma que gastar menos do que ganha deve ser um hábito de todo cidadão. "Poupe 10% do que ganha e faça uma reserva, independente do valor. Esse pé-de-meia tem que ser o suficiente para você se manter por pelo menos 10 meses. Funciona como uma espécie de reserva de emergência", ensina.

Livro ensina como fazer o dinheiro ganhar músculos

Foto: divulgação.

E para guardar esse dinheiro que vai rendendo, o administrador sugere instrumentos de alta liquidez, ou seja, métodos que permitam ao cliente resgatar o dinheiro sempre que precisar. Como exemplo, temos a caderneta de poupança e o fundo de renda fixa. Não adianta ter um imóvel, por exemplo, porque ele não funciona como reserva líquida. "Outro investimento líquido, mas de risco são as ações. O problema é que o preço oscila muito e você pode resgatar o dinheiro em um momento infeliz", lembra.


Além da educação financeira, o livro aborda também desenvolvimento pessoal e técnicas mentais. A ideia é aliá-las à educação financeira para aguçar o leitor a utilizar melhor a intuição. "Não se cria dinheiro do nada, nem se fica rico com processos lineares, ou seja, poupando um pouquinho todo mês. Meu livro reúne técnicas para melhorar o padrão de pensamento e focar as atitudes em busca de ganhos." E finaliza: "Só consegue poupar quem é inimigo do descontrole e da preguiça. Por isso, não gaste dinheiro de forma leviana e não trate o assunto como algo desagradável".

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente