Investimentos: por onde começar?

Investimentos por onde devo começar

Elas eliminaram os espartilhos, queimaram o sutiã em praça pública, saíram de casa para ganhar o próprio dinheiro, batalham para conseguir a equiparação salarial em relação aos homens... mas ainda não mergulharam de cabeça no mundo dos investimentos!

Seja lá pela dificuldade em lidar com o dinheiro ou por pura falta de informação, muitas mulheres ainda não planejam seu futuro financeiro e, por isso, não investem seus rendimentos. Eis, porém, um bom incentivo: para investir seu dinheiro não é preciso dispor de enormes quantias!

Segundo Maria Ângela Nunes Assumpção*, consultora da empresa Moneyplan, até muito pouco tempo atrás, o assunto dinheiro, mesmo para as mulheres que trabalhavam, ficava concentrado nos homens, especialmente no marido, no caso das casadas. "Havia um mito: mulheres eram boas administradoras das finanças da casa e só... Aplicações financeiras eram coisa de homem. Hoje com o crescente número de mulheres independentes, inclusive como resultado dos divórcios, as mulheres, por bem ou por mal, estão sendo obrigadas a se preocupar com o assunto, mesmo que seja através da busca de orientação com profissionais especializados".

As consequências para as que resistem em aplicar seus ganhos, diz a consultora, podem ser devastadoras. "Ela podem arcar com uma idade madura extremamente limitada pela falta de renda, considerando-se que haja pelo menos o INSS, ou a dependência da família. Todo mundo conhece um caso assim".

Bom, se você não pretende viver um futuro deste tipo, confira a orientação da especialista.

- Para quem nunca teve experiência com investimento financeiro: é difícil investir?

Maria Ângela - Como tudo na vida, investir também requer um aprendizado, interesse, leitura. O ideal é começar devagar, um passo de cada vez. Não existe nada mais desastroso do que investir sem entender no que se está investindo e, especialmente, sem ter noção do risco que se está correndo e se esse risco está adequado para o nosso perfil.

- Muitas mulheres acham que para investir é preciso ter muito dinheiro. Isto é verdade?

Maria Ângela - Não. Existem investimentos para todo tipo e porte de investidor. É claro que, quanto mais recursos eu tenho para investir, mais opções e melhores condições eu terei. Para pequenas quantias você pode direcionar para a Poupança, por exemplo. Diga-se de passagem, para pequenos volumes a poupança é uma opção bastante adequada. Você pode, inclusive, se disciplinar e fazer pequenos aportes mensais.

- Atualmente, quais são as opções de investimento disponíveis e as mais procuradas no mercado financeiro?

Maria Ângela - As opções mais conhecidas são:

- poupança - a mais conservadora e tradicional;

- fundos de investimentos - segmento que mais tem crescido nos últimos anos. Existem diversas classes de fundos, sendo que o maior volume de recursos está concentrado nos fundos de renda fixa e fundos DI, seguidos pelos fundos multimercado e ações;

- títulos de emissão dos bancos - CDB, cujo maior volume se concentra nos CDB-DI;

- ações - para as pessoas físicas a criação do Home Broker facilitou bastante o acesso a este mercado;

- Títulos Públicos Federais - que estão se tornando mais conhecidos com o advento do Tesouro Direto.

- Quais são as melhores opções de investimento para as mulheres atualmente?

Maria Ângela - A resposta a essa pergunta é muito simples: não existem melhores opções de investimento. As opções de investimentos que são boas para mim podem não sejam boas para você. Antes de responder a esta pergunta é preciso conhecer o indivíduo sobre o qual estivermos falando: quais são seus objetivos, por quanto tempo o recurso ficará aplicado, o que ele fará com este dinheiro, qual sua tolerância a risco, e assim por diante.

- Palavras como "mercado de ações" e "bolsa de valores" assustam muitas mulheres. Por que?

Maria Ângela - As mulheres em geral têm um perfil mais conservador e não um perfil de tolerância a risco para o mercado de ações (que realmente é um mercado de risco). Mas isso também está mudando dia a dia. E aqui vai uma observação: risco não é ruim, desde que eu saiba que risco estou correndo e o suporte bem. Uma orientação, investimentos em bolsa são para recursos que não estejam comprometidos e para horizontes de tempo de longo prazo.

- Como é possível identificar o melhor investimento para cada perfil de mulher?

Maria Ângela - Desde janeiro de 2010 as instituições que oferecem fundos de investimento operados em mercado de maior risco são obrigadas a solicitar ao cliente que responda um questionário, chamado API - Análise do Perfil do Investidor -, para verificar qual o perfil de risco aceito pelo investidor. Desta maneira as instituições podem apresentar produtos com o perfil de risco compatível com o de cada um.


- Diante da perda de dinheiro em determinado investimento, é possível recuperar o valor perdido?

Maria Ângela - Genericamente, quando estamos num mercado de maior risco e por algum motivo o momento não está sendo favorável, a recomendação é que mantenha-se a calma e espere-se a recuperação do mercado. É claro que existem exceções a esta "regra".

* Maria Ângela Assumpção é planejadora financeira CPF (Certified Financial Planner), uma certificação de distinção oferecida no Brasil pelo IBCPF, instituto mantido pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Por Adriana Cocco

Comente