Imposto de Renda 2009: erros comuns na hora de declarar

Imposto de Renda 2009

A cada ano surge uma nova regrinha na hora de fazer a declaração do Imposto de Renda, mas as dúvidas são sempre as mesmas. Para você não se confundir, a auditora contábil Geane Cristina Ribeiro Jalys, pontua os erros mais comuns dos contribuintes e as suas respectivas correções. Veja os mais frequentes:

  • Não informar corretamente o CNPJ - caso ele seja inválido a declaração pode não ser gravada.
  • Não relacionar todos os rendimentos tributáveis, deixando de informar rendimentos como proventos de aposentadoria e os recebidos em ações trabalhistas, não declarar os valores recebidos de várias fontes, ou ainda declarar valores diferentes daqueles que estão no comprovante de rendimentos - a declaração ficará retida.
  • Informar incorretamente rendimentos de Fapi e Previdência Privada - os valores recebidos de Fundos de Aposentadoria Programada Individual (Fapi) devem ser informados pelo seu montante integral, como rendimentos tributáveis, sem direito à parcela isenta.
  • Informar os rendimentos do cônjuge no quadro Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoas Jurídicas pelo Titular - no caso de declarações em conjunto, os rendimentos tributáveis auferidos pelo cônjuge deverão ser informados no quadro de Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoas Jurídicas pelos Dependentes.
  • Não informar o CNPJ/CPF do beneficiário na ficha de pagamento e doações efetuadas - se o dado estiver inválido, a declaração pode não ser gravada.
  • Dedução indevida para doações efetuadas a entidades assistenciais - somente são dedutíveis as contribuições feitas diretamente aos fundos controlados pelos Conselhos Municipais, Estaduais e Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que devem ser comprovados, por documentos emitidos pelos referidos Conselhos.

  • Informar, no caso de contribuintes com mais de 65 anos, como rendimentos isentos valor superior ao limite legal - para esses contribuintes, a parcela isenta mensal está limitada a R$1.372,81, independente do recebimento de uma ou mais aposentadorias e/ou pensões. O valor excedente deve ser informado como rendimento tributável. Em caso de declaração em conjunto, se ambos os contribuintes preencherem as condições de isenção, o valor máximo permitido é a soma dos limites de cada um.
  • Por Juliana Lopes

    Comente