Homem encontra envelope com R$500 e devolve para o dono

Após achar R$500 o homem devolveu o dinheiro para o dono
honestidade encontrar dinheiro

Foto: Reprodução/Facebook

Achado não é roubado certo? ERRADO! E foi seguindo este conceito de honestidade que o paulista Alex Andrade, 30 anos, de Guarulhos (SP), fez o bem para alguém que nem conhecia devolvendo R$ 500 para uma pessoa que perdeu a quantia na rua.


No último dia 24, Alex encontrou na rua um envelope cheio de dinheiro. Muitos poderiam ter achado um golpe de sorte e ficado com as cédulas, mas o homem fez questão de depositar na conta que o envelope indicava.

“Vinha passando pela praça das pedras quando avistei um envelope no chão e retornei, quando eu peguei avistei um valor de 500 reais”, contou o rapaz na sua página no Facebook.

Na postagem Alex faz uma reflexão sobre a honestidade nesses dias de crise e dinheiro curto.

“Claro que nos dias de hoje a primeira coisa que nós pensamos é.. opa meu Natal vai ser bom, compras e etc… e não se preocupa, com a pessoa que perdeu … bom, não tive dúvidas do que fazer. Aguardei o banco abrir e fui fazer o deposito no caixa… o dono do envelope deve estar muito e feliz e eu também por poder ajudar uma pessoa que nunca vi.

E falou da felicidade que sentiu ao fazer o correto.

“Isso me deixou hoje com uma grande felicidade inexplicável…fica o exemplo.. e acredito, se alguém achar, independentemente de sua necessidade financeira, faça o mesmo que sua vida só irá melhorar!Alex depositou o dinheiro na conta do dono e seu gesto foi admirado por milhares de seguidores. 

Para quem chegou a pensar em se apropriar do dinheiro, vale a informação de que apropriar-se de qualquer coisa que não seja sua é crime.

honestidade encontrar dinheiro

Foto: Reprodução/Facebook

Veja o que diz o Art. 169 do Código Penal:

“Apropriar-se alguém de coisa alheia vinda ao seu poder por erro, caso fortuito ou força da natureza: Pena: detenção, de um mês a um ano, ou multa. Parágrafo único: na mesma pena incorre: II- quem achar coisa alheia perdida e dela se apropriar, total ou parcialmente, deixando de restituí-la ao dono ou legítimo possuidor ou entregá-la à autoridade competente, dentro do prazo de quinze dias.” 

Por Thamirys Teixeira

Comente

Assuntos relacionados: Thamirys Teixeira honestidade dinheiro