Home broker: dicas para investir no mercado de ações!

Home broker dicas para investir no mercado de açõe

Nós, brasileiros, nunca fomos incentivados a investir o próprio dinheiro no mercado de ações. Diante de uma crise instalada como essa, observamos uma mistura do que são especulações ou informações verdadeiras.

Apesar de a bolsa de valores se tornar mais conhecida, muita gente não tem idéia de como investir em ações ou mesmo desconhece quais são os métodos disponíveis. Um deles é o Home Broker (corretor em inglês), ferramenta que permite a negociação de ações via internet, isto é, envia ordens de compra e venda através do site da corretora escolhida.

Facilidade é a palavra de ordem neste tipo de serviço. O investidor observa o valor da cotação e coloca sob quais condições a compra e venda deve ser feita. O pedido é enviado para o sistema eletrônico da Bovespa, que liga as ordens de compra e venda. Após esse processo, o investidor recebe a confirmação, com a vantagem de informá-lo sobre o andamento do pregão e análises do mercado.

Conforme o economista Humberto Veiga, o serviço é mais barato para o cliente. “ Outro benefício é a segurança com relação às ordens e à sua execução, isto é: quando você manda comprar uma ação, você pode fazê-lo pelo home broker ou diretamente por um funcionário da corretora. Eu acho que a menor chance de erro na operação fica com o home broker, que irá fazer exatamente o que você mandar”, explica.

O economista aconselha ter cautela quando for escolher o local para realizar as operações, a fim de manter a segurança das informações. “Apenas não use o computador em lugares públicos ou com acesso por meio de redes sem fio”, diz.

Riscos? São os mesmos do mercado comum de ações, ou seja, a rentabilidade não é garantida e conhecida, vai depender das oscilações dos mercados, desempenho da empresa escolhida e, como está acontecendo agora, da economia brasileira e internacinal, ou seja, sem dúvida é um investimento do risco.

Seja em momentos de crise ou não, Veiga dá a dica: “O investidor, em qualquer momento, tem que ter o mesmo comportamento: autoconhecimento (saber como você reage com a variação dos preços dos investimentos, e até que ponto você pode perder em função dos seus compromissos pessoais e familiares), definição de objetivos e de uma estratégia e conhecimento dos riscos envolvidos nos investimentos. Somente com estas medidas você ficará livre de surpresas desagradáveis”.

Por Juliana Lopes

Comente