Gastos fantasmas podem estourar o orçamento

Gastos fantasmas vilão do orçamento

Foto: Simon Jarratt/Corbis

Você costuma controlar somente os grandes gastos? Saiba que as pequenas despesas diárias ou aquelas esporádicas, que costumam passar despercebidas, podem ser os grandes vilões do seu orçamento.

Essas pequenas despesas são denominadas por alguns especialistas de gastos fantasmas. No entanto, o educador financeiro Mauro Calil define tais gatos como goteiras orçamentárias. "Quando falamos em fantasmas alguns acreditam, outros não. O fato é que os gastos são reais e, assim como os fantasmas que nos causaram espanto, nos assustarão muito no momento em que descobrirmos que existem e, principalmente, ao nos darmos conta do tamanho do estrago que causam no orçamento", afirma.

Quem mais cai nas armadilhas dos pequenos gastos que afetem o orçamento são as mulheres. "Elas gastam pouco, entretanto, com muita freqüência, em bijuterias, cosméticos, idas ao salão, roupas e sapatos, objetos de decoração e até pequenos presentes para o parceiro ou filhos", descreve Calil.

Já os homens costumam gastar com menor periodicidade, porém em quantidades maiores, como na compra de ingressos para teatros, eventos esportivos ou jantares românticos em restaurantes luxuosos. "Buquês de flores, carros, novidades em eletrônicos e até presentes para impressionar a amada também entram nas despesas esporádicas", afirma o educador financeiro.

Não ter controle com as pequenas despesas diárias pode atingir drasticamente o orçamento pessoal. "As goteiras esvaziam a caixa d’água sem que você perceba", diz Mauro. Ele critica o fato de algumas pessoas darem o mau conselho ‘corte grandes gastos para viver melhor’. "Se você cortar as grandes saídas de água e não estancar as goteiras, sua caixa esvaziará do mesmo modo".

Sendo assim, ele julga ser essencial identificar e sanar maus hábitos como o cafezinho, o pão de queijo, as guloseimas e outras coisas que são confundidas com ‘prazeres que dão boa vida’. Além disso, anotar as despesas menores é necessário para saber por onde o dinheiro vaza. "Ir à manicure é importante e ao salão também. No entanto, quando você contabiliza tudo que é gasto verá que muitos de seus sonhos, como uma viagem, ficaram no secador do salão", avalia.

Em seu livro ‘Separe uma verba para ser feliz’, Calil fala do método FAST de enriquecimento, onde o ‘S’ do FAST significa salvar, ou seja, livrar seu dinheiro do consumo tolo, aquilo que não lhe trará um benefício duradouro. "Comprar uma novidade tecnológica parece ser muito legal, porém, em seis meses no máximo você estará desatualizado e seu equipamento já não vale nada", afirma.

Para o educador financeiro, o que é tolo para uns não será para outros e é justamente isso o essencial: descobrir o que realmente vale a pena e o que é tolo para você. "Tenham objetivos grandes. Uma ida ao salão se tornará rotina quando você parar de gastar com tolices e se concentrar no que importa", ensina.

Evite efetuar compras menores no cartão de crédito pode ajudar a não comprometer o orçamento. "O cartão mostrará em sua fatura que os fantasmas existem e você poderá agir nos ‘canos quebrados’ de forma a estancar as goteiras", informa Mauro Calil. "Uma dica é ter no máximo dois cartões e a soma dos limites deles deve ser de no máximo 50% de sua renda. Desse modo, quando o cartão não passar você saberá que excedeu e quando a fatura chegar saberá o motivo de ter estourado o limite", complementou.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente