Financiar material de construção - será que vale a pena?

Financiar material de construção  será que vale a

Com a onda dos financiamentos virou moda parcelar tudo quanto é compra, em especial quando o valor do bem adquirido é alto. Casas, carros e apartamentos financiados não são novidade, mas atualmente tem quem negocie até as materiais de construção dessa maneira. Será que vale a pena?

Antes de tomar qualquer decisão, se informe bem. Primeiro, vamos à função dessa forma de pagamento. "O financiamento permite que o interessado em construir ou reformar adquira materiais de construção em prestações fixas, dando uma pequena entrada ou, até mesmo, sem dar entrada - dependendo da condição de seu cadastro", explica Patricia Medeiros de Godoy, engenheira especialista em treinamentos da empresa "Doutores da Construção", em São Paulo.

Esse tipo de financiamento pode ser bem interessante quando se tem condições de pagar a dívida antes do esperado. "Além de o valor ser disponibilizado imediatamente, os juros restantes são descontados proporcionalmente na quitação. Ou seja, ele são excluídos das parcelas futuras, caso a dívida seja liquidada antes do prazo final para quitação", fala a especialista.

Bancos e outras instituições financeiras oferecem a opção que pode ser a solução para terminar aquela reforma que há anos atrapalha a vida da família. Mas, calma. Há casos e casos. Não vale fazer um financiamento por um capricho.

"Pagar à vista é uma recomendação recorrente de 11 entre 10 especialistas em finanças pessoais. Afinal, o produto é pago de uma só vez e o consumidor evitará preocupações com os gastos nos meses seguintes ou eventuais distorções embutidas nos juros", lembra Patricia. "Sendo assim, o financiamento pode ser evitado nos casos em que a reforma e/ou a construção podem esperar", completa.

Agora, quando não existem recursos à disposição e a obra precisa ser feita depressa, vale a pena procurar pelo financiamento para construir ou deixar a casa melhor. Mas é preciso tomar alguns cuidados, como frisa a especialista. "Caso o leitor opte por financiar, ele deve estudar bem os pacotes oferecidos, as cláusulas contratuais e manter a documentação pessoal em ordem. Se o nome estiver sujo, a dificuldade de conseguir o financiamento aumenta."


Aí vão mais algumas dicas para quem se interessou por esse tipo de financiamento:

• Planeje e mantenha o foco. Se você decidiu financiar a compra do material de construção, evite outras compras que envolvam "parcelinhas" - que parecem baixas no primeiro instante, mas que podem comprometer o orçamento dos próximos meses;

• Leve em conta que um financiamento deve ser contabilizado como despesa fixa durante os próximos meses ou anos;

• Use e abuse dos cálculos e veja se não é mais interessante optar por financiamentos mais curtos, que, apesar de apresentarem parcelas mais altas, envolvem taxas de juros menores.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: finanças financiamento reformar casa