Família Braz_Dois Tempos - a vida da nova classe média

Nova classe média brasileira em filme

Foto: Divulgação

O filme "Família Braz_Dois Tempos" foi o vencedor do Festival "É Tudo Verdade" de 2011. O longa é um estudo de caso de uma família da Brasilândia, zona norte de São Paulo. A obra foi gravada em duas etapas, a primeira no ano 2000 e a segunda dez anos depois. O resultado mostra a ascensão dessas pessoas.

O grupo familiar é composto por Seu Toninho, falecido em junho de 2011, Dona Maria e os filhos Anderson, Denise, Gisele e Éder. Quando os diretores Arthur Fontes e Dorrit Harazin estiveram com os Braz pela primeira vez encontraram uma família cheia de sonhos e pretensões, e quando voltaram, em 2010, a situação já havia melhorado muito e diversas metas já haviam sido alcançadas.

"Eles queriam uma família que estivesse em busca de crescimento econômico. O pessoal da VideoFilmes e Conspiração foi pesquisando no local (Brasilândia), refinando os candidatos e conversou com os vizinhos que indicaram a família Braz", conta o gestor comercial Anderson Braz, sobre a forma como foram escolhidos para protagonizarem o filme. "Fizeram o documentário e ele foi premiado. Dez anos depois eles pediram para voltar e gravar novamente. Toda a família topou de imediato", completa.

O filho de Seu Toninho e Dona Maria fala com orgulho dos planos que a família tinha já no ano 2000. "Nós sempre brincávamos dizendo que a nossa família merecia virar um filme, isso porque somos muito alegres, aqui todo mundo gosta de brincar. Eu nunca imaginei que isso aconteceria por conta da ascensão financeira. Sempre tivemos o pensamento de crescer e melhorar de vida. Uma das promessas que eu e meus irmãos fizemos foi a de não termos filhos antes da hora", lembra Anderson.

O progresso veio muito mais rápido do que os Braz esperavam. "Eu e meus irmãos continuamos os estudos, melhoramos de emprego, compramos automóveis e fizemos viagens. Mas, nunca pensamos em deixar a região. Eu me casei e me divorciei sem deixar a Brasilândia", revela Anderson.


O poder aquisitivo da família permitiu que eles adquirissem bens antes improváveis como, por exemplo, um carro para cada um dos filhos, notebook, celulares... "O mais importante em uma família não são os bens materiais ou o poder aquisitivo. O maior valor da minha família é o respeito. As pessoas têm que aprender a se ouvir, aqui sempre tivemos espaço para discutir. Tomamos decisões juntos", afirma o gestor comercial.

O projeto inicial produzido pela VideoFilmes foi intitulado "Seis Histórias Brasileiras". O "Família Braz_ Dois Tempos" é um dos seis documentários da série.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente