Faça do cartão de crédito um aliado

Faça do cartão de crédito um aliado

A secretária paulista Ângela * não tinha queixas em relação ao valor do salário que ganhava. Pelo contrário. Há cerca de três anos, recebia o suficiente para pagar suas contas e, ainda, guardava um dinheirinho. Sua situação financeira confortável, porém, começou a mudar de uma hora para outra. E quando foi ver, estava atolada em dívidas provocadas pelo mau uso do cartão de crédito.

O que ganhava no trabalho não dava para pagar toda a fatura, pois a tentação na hora das compras era tanta, que as aquisições extrapolavam o orçamento do mês seguinte. Até que o erro fatal foi cometido: ela passou a optar pelo pagamento mínimo da fatura e a conta virou uma grande bola de neve. Todo o orçamento ficou comprometido e até dinheiro emprestado a parentes ela teve de pedir. O final da história até que foi feliz. Suou, mas conseguiu pagar o que devia, aposentou o cartão de crédito e passou a planejar melhor suas compras.

O caso de Ângela é mais comum do que se pensa, pois muita gente ainda faz do cartão de crédito um grande vilão do endividamento. Mas, se bem utilizado, este dinheiro de plástico pode transformar-se em um forte aliado na tentativa de equilibrar as contas domésticas, sem deixar de satisfazer alguns bons sonhos de consumo.

Em primeiro lugar, antes de utilizar o cartão, conheça bem o que você tem nas mãos, como a data de encerramento da fatura, o limite financeiro de compras e os juros cobrados em caso de financiamento da conta. E não se esqueça: tudo o que for comprado no cartão de crédito terá de ser pago integralmente, sem choro nem vela. Não adianta gastar mais do que aquilo que vai receber e depois fazer drama...

Uma boa dica é definir um limite para os gastos dentro do mês e respeitar esta faixa. Saia para as compras com um bloquinho de anotações que deve conter o valor. E controle-se para não ultrapassar este limite! Vá anotando os gastos e fazendo as contas.

Lembre-se que a data de fechamento da fatura não é a mesma do vencimento da conta do cartão. Uma boa dica é escolher uma data de vencimento próxima ao dia de recebimento do salário.

O valor da anuidade cobrado pelas operadoras pode e deve ser discutido. Não vá pagando sem antes ameaçar cancelar o cartão. Via de regra, o valor sempre é baixado e, às vezes, deixa até de ser cobrado.

Prefira sempre pagar à vista a conta do cartão. Os juros cobrados pelo parcelamento só perdem para os do cheque especial.

* Nome fictício

Leia também - Dinheiro não aceita desaforo - saia do vermelho!

Por Adriana Cocco

Comente