Efeito manada: o que é e como evitar

Quando o mercado financeiro está em crise ou os noticiários despejam notícias nada otimistas, cria-se uma atmosfera de incertezas no ar. Principalmente quando estoura uma crise como a que está acontecendo no Japão, fica todo mundo se perguntando o que fazer.

Mas enquanto estão todos se perguntando, ótimo. Afinal, questões levam a informação e esta é mais do que bem-vinda. Mas muita calma na hora de agir. Quando uma onda de investidores resolve comprar ou vender ações em um ato de desespero, isso pode afetar ainda mais o mercado acionário.

Esse ato de seguir a maioria, agir impulsivamente diante de um cenário econômico tem nome: efeito manada. "Esse tipo de comportamento tem um papel fundamental na formação de bolhas e na criação de momentos de exuberância do mercado, e é um dos fenômenos psicológicos mais estudados no campo das finanças", segundo Flávia Possas, que é especialista em economia comportamental.

Isso acontece porque não tomamos necessariamente uma decisão consciente de nos conformarmos e seguirmos a maioria, achando que se o outro que é mais experiente está agindo daquela forma, deve ser o certo.

Em artigo, a psicanalista Márcia Tolotti coloca que "ter um método para gerenciar a carteira é fundamental, mas insuficiente. É necessário ter um autoconhecimento desenvolvido para perceber quando o efeito manada está vigorando e se posicionar do outro lado, ganhando, e não, perdendo dinheiro".


Vale conversar com especialistas da área e relembrar aquela estratégia de investimento que foi traçada lá atrás antes de tomar qualquer decisão precipitada.

Por Lívany Salles

Comente

Assuntos relacionados: finanças crise investimento investidor ações