Compras - aproveite o dólar em baixa!

Compras  aproveite o dólar em baixa

Sabe aquela bolsa importada você namora há séculos? Ou aquele par de óculos escuros, também vindos de fora, que ficariam um charme em você? Pois, amiga, esta pode ser uma boa hora para você realizar seu sonho de consumo! É que, segundo economistas, a tendência de baixa do dólar frente ao Real reflete em preços um pouco mais baixos dos produtos importados.

E não é só. Com a baixa da moeda norte-americana, muita gente tem aproveitado para viajar ao exterior e, claro, fazer compras por lá, onde os impostos que incidem sobre as mercadorias no Brasil não pesam na conta.

Segundo o economista Emílio Alfieri, da Associação Comercial de São Paulo, não se espera que até o fim deste ano o dólar dispare novamente.

"Por isso, as compras a curto prazo tem sido um bom negócio. A partir de 2011, porém, não sabemos que medidas o novo governo poderá tomar a respeito desta questão. A princípio, o que se prevê é uma ceia de Natal farta de produtos nacionais e importados".

Na dúvida sobre o que acontecerá a partir do próximo ano, não são poucas as pessoas que já estão aproveitando para antecipar as compras de presentes de Natal.

"Aproveitei que uma amiga foi para os Estados Unidos e pedi que trouxesse uma boneca para minha filha. Pagando em dólar, percebi que o brinquedo saiu bem mais barato por lá", diz a arquiteta Raquel Freitas. "Agora vejo que poderia ter ampliado um pouco mais minhas encomendas!".

O economista Alfieri explica que a força do Real perante ao dólar não é recente, pois vem ocorrendo já há alguns anos. De fato, durante todo o ano passado, por exemplo, a moeda americana ficou 25,3% mais barata, registrando a maior queda desde 1994.


Mas, voltando às compras, se você pretende trazer produtos do exterior, não se esqueça que para entrar no Brasil o limite é de U$ 500. Se você ultrapassar esse limite, terá de pagar 50% sobre o valor extra!

Ao desembarcar no aeroporto, aproveite e dê uma passadinha no free shop, onde é possível gastar mais U$ 500 dólares em mercadorias como perfumes, bebidas e eletrônicos livres de impostos!

Por Adriana Cocco

Comente