Divórcio - reorganize suas finanças

Divórcio  reorganize suas finanças

Divórcio é um momento bem delicado na vida de qualquer pessoa - o abalo emocional, brigas judiciais, guarda dos filhos... Para a situação ficar ainda mais dramática, a maioria das mulheres que passaram pelo processo sabe que não é nada fácil voltar a se planejar financeiramente.

O especialista em finanças pessoais Antonio De Julio explica que, além do baque emocional, a mulher terá de readequar toda sua vida, já que, geralmente, há uma queda de padrão de vida depois da separação. Assim, ela deve mudar seus planos, pois em alguns casos, a mulher tem financiamento com o marido.

Antonio explica que voltar à casa dos pais pode ser uma boa alternativa para evitar gastos e atitudes imediatistas, como a venda de um imóvel a um preço abaixo do cotado pelo mercado. "A primeira coisa é a questão da humildade. Provavelmente foi algo inesperado, então temos que ter atitudes inesperadas. Não pode ter vergonha de voltar para a casa dos pais, para se restabelecer. Assim, ela não vai ficar sozinha, vai ter apoio psicológico, não vai fazer besteira". E completa: "É importante manter o psicológico, evitar atitudes imediatistas, falar com um advogado de família e ver seus direitos, principalmente em caso de filhos".

Outra dica do especialista é cortar gastos. "Em qualquer situação, os gastos devem ser revistos", conta. Roupas, acessórios, supérfluos, saídas e jantares são as primeiras coisas a serem revistas, segundo Antonio. Depois atente-se ao seu imóvel. Veja se é possível manter seu apartamento, pagar condomínio, IPTU. "A questão é manter, não ter, isso vale tanto para imóveis quanto para carros".

Manter o padrão de vida é difícil, mas possível em casos em que a mulher é a principal responsável pela renda da família (caso de 30,6% das famílias brasileiras em 2005, segundo o IBGE). Também há certa facilidade se o imóvel do casal ficar com a mulher - lembrando do custo de manutenção.

Em outros casos (cada vez mais raros), a mulher larga o emprego para cuidar da família, atitude que o especialista não acha nem um pouco recomendável. "Claro que, quando casamos, não pensamos na separação, mas deve haver planejamento de risco. Essa mulher terá um prazo, mas a recolocação no mercado de trabalho é necessária para manter o padrão de vida", diz.

Resumindo, sabe aquele pôster "Keep Calm And Carry On" ("Mantenha a Calma e Siga Em Frente", pôster que a Coroa Britânica fez no começo da Segunda Guerra Mundial, diante da ameaça de invasão do país)? É o segredo: manter o equilíbrio e se reorganizar, para evitar gastos desnecessários. "Botar numa planilha é chato, mas tem que se reorganizar. Agora ela está sozinha", conclui Antonio.


Para assistir: "The New Adventures of Old Christine", série de TV onde Christine mostra como não replanejar seus gastos após um divórcio. Onde já se viu priorizar gastos com vinhos e queijos em detrimento à escola do filho?

Por Ana Paula de Araujo (MBPress)

Comente