Dívidas: o que fazer com o nome sujo?

Mulher fazendo compras

Quem deve mais na praça, o homem ou a mulher? Pois é, infelizmente somos nós. Segundo uma pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), o índice de inadimplência feminino cresceu 7% em comparação ao mesmo período do ano passado, enquanto que com os homens esse número caiu.

E não é muito difícil saber o motivo. Qual mulher não resiste a uma comprinha de última hora? Ainda mais com as várias vantagens que as lojas oferecem. Começa pelas famosas promoções do fim da estação. Entram na lista vendas a prazo e crediário facilitado. E como estamos no fim de abril já sobra uma folguinha do início de ano para comprar a tão desejada bolsa importada.

Caso tenha dúvidas se seu nome anda “sujo” por aí, vale fazer um consulta no Serasa. O órgão oferece um Serviço Gratuito de Orientação ao Cidadão nas suas centrais.

Segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC), qualquer pessoa tem direito de acesso ao cadastro nos órgãos de proteção ao crédito, em seu artigo 43, no parágrafo 4º. Caso seu nome tenha sido incluído por equivoco, ou ainda não tenha sido retirado, mesmo depois de você ter quitado a dívida, entre em contato com o órgão de proteção, que tem cinco dias úteis para efetuar a alteração e comunicar aos eventuais destinatários o erro.

Confira os endereços das centrais de atendimento do Serasa.

Por Juliana Lopes

Comente