Dicas para voltar das férias sem dívidas

Dicas para voltar das férias sem dívidas

Férias de julho ou de dezembro são os momentos mais esperados do ano. É nesse período em que aproveitamos para descansar, passar mais tempo com a família, conhecer novos lugares e realizar muitas outras atividades. Mas é necessário planejamento financeiro para que elas não se tornem um pesadelo e você volte sem dívidas.

Os dias de folga devem ser programados com antecedência para determinarmos o roteiro da viagem, quais serão os gastos e quanto será necessário poupar para realizá-la. O educador financeiro e presidente da DSOP Educação Financeira e editora DSOP, Reinaldo Domingos, autor do livro "Terapia Financeira", afirma que é importante que se defina qual é o seu tipo de sonho: de curto prazo (que é até um ano), médio (até dez anos) e de longo prazo (acima de 10 anos).

"Quando falamos de sonhos de férias normalmente é de curto prazo e é preciso planejar com até 12 meses de antecedência. Investir em caderneta de poupança é uma boa opção para poupar", garante Domingos. Para viagens mais caras, de médio ou longo prazo, como ir à Disney, é preciso planejar acima de doze meses. "Neste caso, poderá investir em tesouro direto, CDB ou fundo de investimos. Antes de tomar a decisão pesquise em três grandes instituições financeiras com a ajuda de especialistas", sugere Domingos.

Segundo o educador financeiro a família precisa fazer uma estimativa superficial e registrar o passo a passo do que poderá investir. Desde o translado da viagem até o que gastará com alimentação, hospedagem e presentes. Além disso, leve no mínimo de 30% a 50% de reservas a mais do previsto. "Poupar parte do dinheiro que se ganha mensalmente é o segredo para quem quer garantir os sonhos", afirma.

No entanto, antes de o destino ser programado, deve-se atentar à real situação financeira para determinar se a viagem será realizada naquele momento. "Em caso de endividamento familiar é preciso fazer uma grande faxina financeira e cortar os excessos de despesas que geralmente são de 20% em tudo que é consumido mensalmente, desde energia elétrica, água, alimentação e telefone até os gastos supérfluos", descreve Reinaldo.

Gastos não previstos podem levar ao desequilíbrio financeiro da viagem. Sendo assim, crie uma lista com a relação de presentes e lembranças que pretende comprar para evitar o exagero. "Todo cuidado é pouco! Reserve uma parte de dinheiro para gastar com este tipo de despesas. Outro erro é abusar do uso de celulares para interurbanos", opina o educador.

Confira as outras cinco dicas para quem pretende realizar uma viagem de sucesso:

1. Busque junto às operadoras de viagens os melhores pacotes e vantagens. Lembre-se de consultar se há milhas em seu cartão de crédito. Isso pode ajudar a diminuir sensivelmente o custo das passagens;

2. Se for viajar dentro do país de carro, faça uma revisão do mesmo. Verifique documentação, seguro e dirija se estiver em boas condições físicas;

3. Para pacotes econômicos com pagamento antecipados, pesquise a operadora de viagem para saber como anda sua saúde financeira e consulte órgãos de consumidores para saber a quantidade de reclamações existentes sobre a mesma;

4. Se o destino é fora do Brasil adquira a moeda estrangeira daquele país da seguinte forma: 80% em cartão pré-pago e 20% em dinheiro em espécie. Caso tenha vários familiares, faça com que todos tenham seus cartões com os limites já pré-estabelecidos e combine que este é o valor de sua cota. Oriente quanto dá para cada dia;


5. Leve no máximo dois cartões de créditos com vencimentos próximos e posteriores à data da viagem. Lembre-se de informar a operadora de cartões para que saiba que estará fora do país durante o período. Também adquira um seguro viagem.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente