Dicas para usar melhor a sua conta corrente

Dicas para usar a sua conta corrente

Até mesmo em simples transações em sua conta corrente, você não fica livre das tarifas bancárias. E mesmo pagando um preço alto para que o banco guarde o seu suado dinheirinho, o número de clientes insatisfeitos só aumenta. Não é a toa que muitos deles aparecem com freqüência em listas de órgãos de defesa do consumidor.

Como não dá para deixar o dinheiro guardado no colchão, o jeito é se proteger e ficar atento a todas as movimentações feitas em sua conta. Simples medidas podem ser feitas, conforme Marcos Morita, mestre em Administração de Empresas e professor da Universidade Mackenzie.

Seja disciplinado: confira seu extrato periodicamente, questionando taxas e tarifas não usuais. Faça uso dos diversos canais de comunicação existentes.

Esteja atento: leia o contrato antes de assiná-lo, em especial os parágrafos sobre pacotes, taxas e tarifas. Guarde-o e consulte-o sempre que necessário.

Planeje: escolha um período e levante o número de extratos e saques em caixas eletrônicos, transferências e folhas de cheques, antes de escolher um pacote de benefícios. Com planejamento, você verá que há possibilidades de redução ou novas formas para se obtê-los.

Negocie: gerentes de agência são medidos pelo número de novas contas e percentual de desertores. Saiba também que clientes antigos custam menos às empresas de serviços. Avalie sua situação e sente-se à mesa para negociar.

Concentre: evite manter vínculos em diversos bancos e instituições financeiras. Além da maior dificuldade de controle, dispersar recursos reduz o poder de barganha.


Compare: mantenha o hábito de pesquisar taxas e tarifas em alguns bancos, cuja base pode ser trocada periodicamente. É prática comum a publicação de estudos em órgãos de proteção ao consumidor.

Por Juliana Lopes

Comente