Diaristas ganham frente às empregadas domésticas

Diaristas ganham frente às empregadas domésticas

O cenário na economia nacional mudou significativamente nos últimos 15 anos e trouxe alterações na maneira de viver dos brasileiros. Uma delas diz respeito à contratação de serviço de empregada doméstica. Ao que tudo indica estamos em um processo de escassez de mão de obra e valorização de salários.

Segundo Carlos Eduardo Oliveira Júnior, membro do Conselho Federal de Economia, a valorização deste trabalho deriva da melhoria das condições de vida da população brasileira, o aumento do desenvolvimento regional, redução da migração e ascensão da nova classe C. Esse conjunto de fatores possibilita que jovens carentes tenham mais acesso aos estudos.

Por conta disso, a população brasileira, em sua maioria mulheres, acaba não querendo desenvolver essa atividade. "Os profissionais que antes procuravam emprego no setor doméstico, hoje, com uma melhor qualificação, migram para o setor de serviços", afirma o conselheiro.

O conjunto de transformações acabou por mudar o cenário em que atua as domésticas. "Hoje você não vê mais a empregada doméstica clássica, que ficava a semana inteira em uma família. Esse quadro mudou para a diarista que, no final das contas, ganha mais que a primeira", ressalta Carlos Eduardo. "A ascensão da nova classe média criou uma nova população que procura os serviços dessa profissional, devido à valorização desta atividade", completa. E como houve uma diminuição no número de mão de obra, aumentou o valor financeiro da atividade.

O aumento do custo em se manter uma empregada doméstica cria a possibilidade de se optar pela diarista. Oliveira Júnior orienta as pessoas a não abrirem mão desse serviço. "O quadro se modificou. Além do chefe da família, a sua acompanhante também trabalha, por isso faz-se necessário a contratação de uma profissional para realizar os serviços domésticos", justifica.

Segundo Carlos Eduardo, pesquisar bem o mercado antes de escolher a profissional que irá auxiliar nas atividades domésticas ajudaria a diminuir os gastos. Essa é uma boa dica para quem não dispõe de muitas condições financeiras. "Por conta do ritmo acelerado do dia a dia, fica praticamente impossível não ter um auxilio de uma profissional para os serviços caseiros", reforça Carlos Eduardo.


Dependendo do tamanho e dos costumes da família não há necessidade de contratar essa profissional para atividades diárias. O conselheiro lembra que a colaboração de todos os seus integrantes pode ajudar a diminuir muito os custos. Outro ponto ressaltado por Oliveira Júnior é que ter uma empregada doméstica sai muito mais caro do que uma diarista uma vez por semana ou quinzenal.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: finanças empregada doméstica