Cuidados na hora de comprar apartamento usado

Cuidados na hora de comprar apartamento usado

Ter a casa própria é o sonho de muita gente e como não é todo mundo que consegue comprar um apartamento novinho, muitas vezes as pessoas acabam optando por imóveis mais antigos. Essa pode ser uma boa troca, afinal construções mais antigas tendem a ser mais espaçosas, por exemplo, mas podem também trazer diversos problemas caso o futuro proprietário não cheque as reais condições do imóvel.

Para ajudar na hora da compra, o Vila Sucesso conversou com o representante do Núcleo Paulista de Arquitetura e Decoração, Marcus V. Zechetti que deu algumas dicas. De acordo com ele a primeira coisa, isso vale para imóveis novos e usados, é verificar se todas as documentações como IPTU, escritura, habite-se e matrícula, por exemplo, estão em ordem. “Verifique com o corretor ou solicite diretamente ao proprietário as certidões necessárias.”

Se o apartamento usado estiver ocupado é necessário ter ainda mais cuidado e verificar se o proprietário é o ocupante ou se é um inquilino. “Nos dois casos, veja qual o prazo para a desocupação do imóvel. No caso de inquilino, veja se o aluguel está em dia, se há cláusula para venda do imóvel e se há alguma ação jurídica como ação de despejo, por exemplo.”

Verifique também o entorno do bairro, caso não o conheça, fale com moradores e vizinhos. Veja como é a infra-estrutura do local quanto a escolas, postos de saúde, saídas do bairro, comércio, bancos, etc. Na rua do imóvel, busque informações quanto a trânsito, ruídos, feiras-livre, alagamentos, existência de bares e boates e segurança. Procure passar pelo local em dias e horários diversos.

Já para ter certeza da condição do imóvel, Marcus aconselha que a pessoa visite o imóvel, quantas vezes achar necessário. “Se possível, chame um arquiteto de sua confiança para lhe acompanhar. Ele avaliará o imóvel com um olhar mais crítico para a metragens, soluções arquitetônicas, entorno, insolação, ventilação e patologias das construções.”

Caso você não possa levar um arquiteto confira você mesmo, veja as dicas de Marcus:

1) Veja em quais cômodos incidem sol e qual o horário de incidência. Prefira os que recebem sol da manhã nos quartos. Em geral ambientes com pouca ventilação e baixa incidência de sol são úmidos e facilitam o aparecimento de mofo.

2) Preste atenção nos sinais de infiltração, vazamentos, trincados, rachaduras, madeiras podres, cupim, etc. Redobre a atenção caso o imóvel tenha pintura nova, pois os problemas podem estar camuflados.

3) No piso, atente para a existência de rachaduras, descolamentos, manchas, apodrecimento, estufamento e umidade que podem indicar sinais de vazamentos e infiltrações.

4) Abra torneiras e chuveiros. A presença de pouca pressão de água é sinal de problema de encanamento. Acenda as luzes, busque fios aparentes e observe o quadro elétrico. Em geral, quadros desorganizados indicam instalações mal feitas, sem manutenção ou com dimensionamento de cargas inadequados.

5) Verifique também os pontos de gás e demais instalações do imóvel e do condomínio.

Reforma

Algumas pessoas compram apartamentos mais velhos pensando em fazer uma mega reforma e deixar o apartamento do seu jeito, porém Marcus alerta que é preciso pensar bem e analisar a situação antes de fazer essa opção. “Prédios e condomínios novos possuem um número maior de áreas de lazer e convívio, já os imóveis antigos quase não possuem estes equipamentos, em contrapartida são mais bem localizados, tem preço mais baixo e maior área em comparação a imóveis novos na mesma região, mas para que isso seja realmente uma vantagem é preciso tomar alguns cuidados.”


Ele aconselha que caso decida fazer uma reforma, além de conferir todos os detalhes já citados, é importante fazer um levantamento de tudo que será necessário reformar e com isso preparar uma estimativa de gastos para esta reforma, para isso o ideal é ter auxilio de um arquiteto ou profissional da área, que poderá identificar eventuais problemas desde pequenas infiltrações até a necessidade de reforço estrutural ou troca de telhado, além de projetar e gerenciar a obra afim de evitar desperdícios e gastos desnecessários.

Por Larissa Alvarez

Comente