Crise financeira: manual para pequenas empresas

Pequenas empresas

Com tantas notícias sobre a crise fica difícil saber o que é mito ou realidade. Não só entre os consumidores, os pequenos empresários também ficam em dúvida de como agir durante a turbulência dos mercados.

Diante dessa situação, o Sebrae produziu um manual chamado “Como agir na crise”, feito por uma comissão de técnicos do órgão. Conforme o documento, ainda não há garantias de que a crise deixe o Brasil imune.

As empresas que vedem produtos populares, por exemplo, serão menos afetadas, isso porque os salários menores continuarão com tendência de recuperação real. Ainda segundo o manual, as empresas que enfrentam a concorrência de produtos importados no mercado brasileiro podem sair na frente, afinal, os produtos importados vão ficar 20% mais caros.

O manual explica como fixar custos, principalmente às empresas que dependem de créditos bancários ou utilizam insumos importados. E ainda estabelece algumas regrinhas básicas:

Atenção aos custos fixos. Localize e corte todas as despesas desnecessárias;

Converse com seus funcionários e peça sugestões para diminuir despesas;

Olho no estoque, veja se ele não cresce com “produtos encalhados”;

Tente negociar maior prazo de pagamento com seus fornecedores de forma a receber suas vendas antes de ter de pagar os fornecedores;

Evite contrair dívidas, principalmente em moeda estrangeira;

Não dependa nunca de apenas um ou dois grandes clientes;

Esteja sempre aberto às mudanças, seja de produtos, processos internos e mercados;

Fique atento às novas oportunidades, elas sempre surgem em momentos de crise;

Mais informações pelo enderço: http://www.sebraesp.com.br/fique_olho/como_agir_na_crise

Veja também:

Abra sua empresa sem cometer erros

Por Juliana Lopes

Comente