Copa do Mundo: cuidado com os preços altos

Copa do Mundo

Foto: mother image/Corbis

A Copa do Mundo é um evento enorme que trará milhões de pessoas ao país e, principalmente, às cidades-sede dos jogos. E todos querem aproveitar o dinheiro que essa galera trará, não é verdade? Sendo assim, os preços tendem a salgar e, mesmo que o governo diga que intervirá caso os preços altos fique comum e abusivo, devemos nos prevenir.

O aumento já está ocorrendo e a atenção é necessária. "As coisa já estão, inclusive, sendo cotadas mais caras para a ocasião da Copa do Mundo. Se você entra nas cotações das companhias aéreas, as passagens já estão mais altas", conta Celina Ramalho, conselheira do Conselho Federal de Economia.

É importante refletir a respeito da pressão dos preços para essa época. "Desde viagens até o consumo das pessoas que moram nos locais próximos aos jogos, tudo deve ser pensado de modo que alterações de preços não acabe por restringir o orçamento das pessoas", diz a conselheira.

Acompanhar como os preços se comportam é o melhor jeito de não ter surpresas. Seja acompanhando os noticiários ou fazendo constantes pesquisas de preço, deve-se ter em mente que as coisas mudam o tempo todo e você precisa estar a par dos acontecimentos.

"Quem mora nas cidades-sede ou muito perto delas precisa se preocupar com os meios de locomoção, acomodação, alimentação etc. Devem fazer abastecimento e evitar fazer compras na ocasião", aconselha Celina. Programe-se e aproveite para comprar produtos eletroeletrônicos e alimentos não perecíveis antes da data do evento para que apenas gastos menores sejam mantidos durante o mundial.


Outra alternativa é sair da zona de aumento. Aproveitando que o MEC adiantará as férias de julho para junho, você pode viajar com toda a família para a Argentina, por exemplo, já que não precisa de passaporte e tem preços convidativos.

E a queda vem logo após o fim dos jogos. "Depois da Copa, os preços tendem a se acomodar no sentido contrário, deve ocorrer uma queda gradual com muitos preços promocionais", explica Celina. É aí que você tem que ser esperta e aproveitar as promoções dos excedentes da festa.

* Serviço: Celina Ramalho, conselheira do Conselho Federal de Economia.

Por Juliany Bernardo (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: copa do mundo copa do mundo preços