Que tal abrir uma conta-salário?

Que tal abrir uma contasalário

Isenta de tarifas bancárias para manutenção e transferência total, a conta-salário é um benefício conquistado pelos trabalhadores. Com ela, os funcionários de empresas privadas ficam livres para escolher o banco em que desejam receber seu pagamento. Você conhece as regras? Então vamos lá...

A conta-salário é um tipo especial destinada a receber salários, aposentadorias, pensões ou valores similares. Sua principal vantagem é a possibilidade que oferece ao trabalhador de transferir seu pagamento para outra conta, diferente daquela aberta pelo empregador, sem precisar pagar qualquer taxa para isso. E, neste caso, os recursos devem ser transferidos para o banco escolhido no mesmo dia do crédito.

O funcionário, então, pode optar pelo saque total do pagamento diretamente da própria conta-salário ou pela sua transferência para uma conta-corrente de depósitos aberta no mesmo banco. E sobre qualquer uma dessas movimentações também é proibida a cobrança de tarifas.

Ainda não podem ser cobradas tarifas pelo fornecimento, por meio dos terminais de auto-atendimento ou diretamente no guichê de caixa, de pelo menos dois extratos contendo toda a movimentação da conta nos últimos trinta dias; e manutenção da conta, inclusive no caso de não haver movimentação.

Importante ressaltar que a conta-salário não admite a movimentação por meio de cheques, mas apenas cartões magnéticos, fornecidos gratuitamente pelo banco (a não ser nos casos de pedidos de reposição decorrentes de perda, roubo e danificação). Também não dá direito ao cheque especial.

A conta não pode receber créditos de outras fontes (nem depósitos) a não ser o próprio salário enviado pelo empregador e fica restrita a, no máximo, cinco saques e duas consultas em terminais de auto-atendimento, por mês.


Se o seu pagamento não é depositado na conta-salário do seu banco preferencial, você pode pedir a mudança ao banco atual. Entidades de Defesa ao Consumidor orientam apenas para que seja feita uma comunicação por escrito à instituição, com dados sobre o número do banco escolhido, agência e conta a que deverão ser transferidos os valores. E é bom que receba do banco um comprovante de ciência do compromisso de transferir os valores do pagamento.

E, claro, se sair da empresa da qual recebe o salário, o funcionário não poderá mais movimentar esta conta.

Por Adriana Cocco

Comente