Conta conjunta ou separada?

Casais precisam falar de dinheiro

Muitos casais torcem o nariz quando se fala em dinheiro. Lógico que o assunto não será abordado no primeiro encontro. Por outro lado, esperar o casamento para discutir só vai piorar a situação. Porém, antes tarde do que nunca.

Primeiro, é preciso entender que duas pessoas que se casam passam a ter uma vida em comum. "A partir deste momento, tudo que é do convívio passa a ser do casal e não de um ou de outro. A escolha da casa, dos móveis, da comida, da decoração, do lado da cama, dos passeios no final de semana. E o que é que tudo isso tem em comum? A vida financeira", afirma a especialista em finanças, Ana Burnier, da Invest Partner.

Para ela, o primeiro passo para cultivar um relacionamento baseado na confiança é não esconder o quanto cada um ganha e saber exatamente o que estará disponível para as despesas e realizações de sonhos. "A partir daí, considero que o que for mais organizado e que goste mais de cuidar do dinheiro, assuma a rédea de cuidar do dinheiro do casal". A essa pessoa caberá manter as contas em dia e segurar as despesas quando for necessário.

Uma sugestão dada pela especialista é a de manter contas correntes separadas, onde na data combinada o "líder" das despesas receba a parte proporcional para os pagamentos mensais. Já no caso de investimentos, é recomendável conta conjunta, pois com montantes maiores os ganhos também tendem a ser maiores.

Por Lívany Salles

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento finanças dinheiro casal