Como não levar seu negócio à falência

Como não levar seu negócio à falência

Foto: Samantha Mitchell/Corbis

Como se sabe a taxa de mortalidade das empresas no Brasil é grande, e ela em geral incide com mais força na infância, ou seja, nos primeiros anos de vida.

É fato também que a elevação do nível educacional dos empreendedores esta diretamente ligada à redução da mortalidade empresarial e por consequência a construção de negócios mais bem sustentados e significativamente melhor avaliados economicamente. Até aí obviedades importantes, mas que excluem da análise o velho e clássico impacto do bom senso.

Sem dúvida algo que nasce da mistura edificante de senso crítico, alguma educação direcionada ao empreendedorismo e pura aritmética.

Também é certo que você, caso já tenha se tornado, ou quem sabe pense em se tornar um dia uma empreendedora de sucesso, evidentemente não deseja sentir o gosto amargo da bancarrota empresarial.

O assunto é complexo, mas alguns passos podem com boa margem de segurança, inverter rotas de colisão nas quais comumente alguns empreendedores insistem em perseguir.

Vamos lá:

1. Aprenda a conceber uma projeção segura e bem calculada do fluxo de caixa. Isso permitirá o entendimento preciso de duas medidas essenciais.

2. Saiba separar claramente os investimentos das despesas operacionais;

3. Potencialize sua geração de receita, mas administre as despesas correntes e operacionais com rigor absoluto;

4. Repense processos, quadro de pessoal e a estrutura de custos com precisão, de forma que possa operar as intervenções cirúrgicas necessárias para otimizar processos, garantir o ganho econômico de escala e ganhar robustez econômica;

5. Saiba recuar quando for necessário, interrompendo se for o caso investimentos e projetos já iniciados;

6. Saiba apertar o cinto e tenha coragem para mexer na própria remuneração assim como em adotar medidas antipáticas, controversas e difíceis;

7. Repense o endividamento, reestruturando-o se necessário por um perfil de dívida mais saudável. Opere com poucas instituições financeiras;

8. Mantenha uma visão e um prognóstico de médio e longo prazo, sem perder a noção de que o presente é fundamental e de que sem ele não há futuro que se concretize;

9. Seja pragmática.

Boa sorte e até a próxima


Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial, empresa que atua como uma agência independente na produção de conteúdo e informação.

Comente