Como identificar a doença financeira

Existe o pão-duro, aquele que dizem que sequer abre a mão para dar tchau. Tem aquele também que leva uma vida privada de qualquer luxo ou conforto, sai na rua como quem não tem nada mesmo, mas que esconde uma fortuna. A semelhança é que tanto um quanto o outro sofrem de uma doença financeira.

O termo pode parecer estranho. E é mesmo. Afinal, não há uma comprovação científica que sustente a teoria, porém, existem vários sinais que denotam um distúrbio psicológico e envolvem o dinheiro. Por exemplo, aquele jogador compulsivo que perde quase tudo o que tem numa rodada. Ou, então, colecionar objetos pode não ser tão saudável quando o colecionador gasta mais do que pode com o seu objeto de desejo, comprometendo toda a sua renda.

O filme Os Delírios de Consumo de Becky Bloom mostra claramente de que forma a compulsão por marcas, promoções ou pelo ato de comprar podem arruinar completamente as finanças. Nele, a jornalista Rebecca Bloomwood, ou apenas Becky, gasta o que tem e, principalmente, o que não tem para alimentar seu impulso consumista. Faz malabarismos com seus 12 cartões de crédito. Identificou-se ou conhece alguém nessa situação?

Por isso, é preciso definir qual é o papel que o dinheiro tem na vida da pessoa e o motivo pelo qual ele é buscado. Se é por segurança, amor, vaidade, poder, liberdade. Afinal, o que faz você lutar pelo dinheiro?

Por Lívany Salles

Comente

Assuntos relacionados: finanças doença economia financeira