Como dar menos valor ao dinheiro?

É comum escutarmos que é preciso se dar valor ao dinheiro. Mas o que fazer quando passamos da conta e damos valor DEMAIS aos bens financeiros?
dinheiro e felicidade

Qual o valor do dinheiro na sua vida? Foto: iStock_monkeybusinessimages

Ao falarmos e pensarmos em dinheiro, nos damos conta de que ele sim é fundamental para a nossa sobrevivência, mas até que ponto conseguimos medir a ambição e a felicidade do ganho?  

Como todo ser humano, nos colocamos na posição de trabalhar para ganhar bem, para termos uma vida boa, confortável e para desfrutarmos do prazer em poder gastar e comprar o que desejamos, mas nem sempre conseguimos medir o quanto estamos abusando destes gastos – algumas vezes com futilidades – e deixando prioridades  para o segundo plano como amor, carinho e cumplicidade. Entendo que ter dinheiro nos traz bem estar e muito prazer, mas será que só isso seria fundamental para construção de uma vida social?


Quando digo prioridades, estou expondo o quanto deixamos de valorizar as situações mais simples para podermos somente desfrutar do valor alto que podemos ter financeiramente. As situações mais simples (e não menos importantes) são, por exemplo, um passeio com a família no parque, um momento de uma conversa agradável com a esposa, um momento com os filhos onde possam somente conversar sobre assuntos que lhe agradam, enfim, atitudes que não necessariamente necessitam de dinheiro. 

É preciso um equilíbrio!

Muitos casamentos entraram em crise por essa falta constante de ganho financeiro de ambas as partes, e com essa situação a melhor forma desse controle seria uma boa conversa com o parceiro, para que juntos possam achar uma alternativa viável para a solução.

família e dinheiro

É preciso dar mais valor às experiências pessoais e não deixar a vida financeira interferir na felicidade. Foto: iStock_monkeybusinessimages

Para que isso não aconteça com frequência, seria importante saber organizar o tempo. O tempo será fundamental para que você possa trabalhar e garantir a sua renda no final do mês, sem maiores prejuízos emocionais, pois vivemos em uma sociedade que se constrói em torno de dinheiro e o tempo passa, não conseguimos aproveitar as demais oportunidades que o universo nos trás. 

Precisamos ver as interações com o mundo externo, as oportunidades para que possamos ser melhores como ser humano, confiar mais na intuição e não dar valor somente à nossa razão como fazem os ambiciosos. 

Por Psicóloga Aline Alencar

Comente