Como começar o ano com as finanças em dia

Como começar o ano com as finanças em dia

Dinheiro é muito bom para quem sabe administrar. Mas, para quem gasta mais do que deve, pode se tornar uma arma extremamente perigosa. Para que você também não caia na armadilha desse vilão, o Vila Sucesso foi à caça de alguns especialistas no assunto, atrás de dicas para esse 2010 começar com o pé no azul.

"Primeiro de tudo, a pessoa sabe quanto vai receber, então deve fazer uma planilha baseada nos gastos dos anos anteriores para descobrir o quanto costuma gastar no começo do ano. Feito isso, é só poupar o dinheiro necessário para o pagamento das contas", ensina Glauco Pinheiro da Cruz, diretor do grupo Candinho (assessoria contábil, fiscal e trabalhista) em São Paulo.

Outra dica muito interessante é tomar cuidado com as despesas de final de ano. "Não gaste tanto com presentes ou viagens", adverte. Assim você poupa dinheiro para o começo do ano e se poupa também de uma enorme dor de cabeça. "Temos que agir com parcimônia, principalmente no que diz respeito ao 13º salário", completa Otto Nogami, professor de economia do Instituto Nacional Pós-Graduação (INPG), em São Paulo.

Segundo o especialista, o ideal seria aplicar o 13º para acumular ganhos. "Especialmente quando as pessoas são um pouco descontroladas no uso do dinheiro", comenta. Mas onde aplicar? "A melhor alternativa hoje é numa caderneta de poupança. Com o aumento da taxa de juros, uma alternativa não seria aplicar em fundo de renda fixa? Não, pois sobre a rentabilidade incide imposto de renda", indica o economista.

Entre as dicas essenciais de Glauco para uma boa administração de dinheiro durante o ano está em algo básico, mas primordial: nunca gastar mais do que você ganha. "Isso fará com que você fique constantemente no azul, sem problemas com a conta corrente", afirma. "Sempre que puder, compre produtos à vista, nem que você tenha que esperar um pouco mais de tempo para conseguir o dinheiro necessário". Ele deixa claro que, fazendo assim, é maior o poder de barganha. "Sem contar que é muito melhor do que fazer um financiamento e pagar os juros", completa.

Os profissionais afirmam que é interessante desenvolver o hábito de, todo mês, economizar uma quantia. "O ideal é guardar 20% da sua renda. Assim, se o salário líquido é de R$ 1.000, aplique R$ 200, e não utilize em hipótese alguma ao longo do tempo, principalmente com a perspectiva de prometer que vai lançar mão da poupança, mas com a jura de que vai devolver um dia. Isso, na maioria das vezes, não acontece", garante Otto. "A pessoa tem que ter na ponta do lápis todos os gastos, todos os compromissos que tem durante o mês. Fazendo uma planilha de gastos, você pode planejar outros desejos dentro do orçamento e ainda deixar uma margem para imprevistos, uma reserva em caso de urgência", completa Glauco.

Essas dicas são importantíssimas para que você não caia na tentação do cheque especial, por exemplo, que pode ser uma armadilha perigosa para quem está com dívidas. "Faça todo o esforço possível e impossível para não entrar no cheque especial e, principalmente, parcelar o saldo do cartão de crédito. Não se empolgue com as parcelas sem juros no cartão de crédito; fuja dessa armadilha. Faz bem antecipar o consumo, mas você terá que pagar lá na frente, e vai acabar comprometendo a sua capacidade de consumir mais tarde", adverte Otto.


Seguindo essas dicas básicas e se organizando, é bem improvável que você se perca novamente nas contas do início do ano e, principalmente, no restante dele. E não se esqueça que o mais importante - e mais difícil - é segurar o consumismo, mas vale à pena tentar.

Por Tissiane Vicentin (MBPress)

Comente