Cartões de fidelidade

Cartões de fidelidade

Cartões de fidelidade oferecidos por lojas e empresas de diversos setores continuam ocupando um bom espaço na carteira dos brasileiros. Supermercados, restaurantes, livrarias, farmácias, companhias aéreas... Todos buscam clientes fiéis em troca de descontos, promoções, formas diferenciadas de pagamento, brindes personalizados. Antes de se deixar seduzir pelos produtos, porém, o comprador deve estar ciente de que pesquisar preços na concorrência continua sendo fundamental e que, se for utilizar todos os cartões que receber visando os descontos, poderá enrolar-se em dívidas.

Segundo o especialista em finanças pessoais Raphael Cordeiro, quando bem utilizado, o cartão de fidelidade é vantajoso. “Depende muito da postura do comprador. Se ele fechar os olhos para os produtos de outros fornecedores estará perdendo, mas se ficar atento a todas as opções do mercado e concluir que os benefícios do programa justificam sua fidelidade, não há problema algum”.

Em épocas de crise financeira, ele explica, vale a pena utilizar-se dos cartões de fidelidade em casos de promoções verdadeiras, tomando cuidado para não se deixar levar pelas estratégias de venda de empresas que pretendem apressar o cliente a tomar sua decisão.

“Por exemplo: ‘Apenas nesta quarta-feira oferta imperdível!’. Se for fazer uma pesquisa de preços, em muitas dessas ofertas não há vantagens financeiras, mas como o consumidor tem o desejo de comprar e sabe que no dia seguinte a oferta acabará, deixa-se levar pela promoção”.

O bom planejamento ajudará o cliente fiel a não acumular dívidas. “A orientação é utilizá-lo com coerência. Não extrapole o orçamento! O cartão de fidelidade jamais poderá ser a razão da sua compra”, diz Raphael Cordeiro.

Leia também - Planeje seus investimentos

Por Adriana Cocco

Comente