Cartas a um jovem investidor

Cartas a um jovem investidor

Foto Divulgação

No gênero Finanças Pessoais, Gustavo Cerbasi é um dos autores mais vendidos no país. Agora, ele divide o seu conhecimento com aqueles que pretendem não só ficar ricos com a conquista do primeiro milhão, mas também manter as finanças em dia, aprendendo a colocar o dinheiro em aplicações mais rentáveis que a caderneta de poupança — entre os quais fundos de multimercados e ações.

No livro, “Cartas a um jovem investidor”, o autor revela que até os 24 anos de idade mal pensava no seu futuro ou na sua renda; que não passava de um bom aluno na faculdade de Administração, na qual tinha sérias dificuldades em acompanhar as aulas do tema que viraria um verdadeiro expert, finanças.

“Mas assim que me formei fui convidado a ajudar um colega de classe da faculdade em um trabalho — adivinhe em qual área? — a de consultoria financeira. Não entendia nada do assunto (...). Aprendi finanças assim: tentando entender o que os outros, que sabiam muito, haviam feito”, confessa Cerbasi.

O autor diz que jovens investidores de idades mais avançadas também vão gostar do livro. “Já vi várias senhoras aposentadas se tornarem grandes investidoras em ações (...) O propósito de investir é aumentar sua riqueza (...) Poupar para o futuro é questão de sobrevivência. Daqui a alguns anos você deixará de trabalhar, por vontade própria ou não. É fundamental entender que sua renda atual serve não somente para sustentar o mês corrente, mas para sustentar sua vida. Por isso, ao menos uma parte dessa renda deve ser posta para trabalhar num plano de previdência, em fundos de investimentos ou em um negócio de sua escolha para que você tenha de onde tirar o sustento de uma vida confortável na aposentadoria”, ressalta.

O livro traz comparações entre as diversas modalidades de aplicações e convence o leitor a poupar através de exemplos práticos: “Se você começar a guardar R$ 100 por mês na poupança, considerando uma rentabilidade média de 0,4% ao mês, descontada a inflação, em 40 anos terá acumulado cerca de R$ 145 mil. Se cuidar com mais carinho do seu dinheiro e correr atrás de ganhos médios de 0,8% ao mês em um fundo de mercados, por exemplo, acumulará no mesmo período algo em torno de R$ 560 mil”.

Você já ouviu falar na expressão em inglês “no pain no gain”? Pois Gustavo Cerbasi ensina exatamente isso, sem sacrifício não há ganhos. Devemos tentar sobreviver com uma renda menor do que o total que ganhamos. Tarefa árdua, já que isso envolve grandes escolhas: deixar de jantar fora, mudar para uma moradia menor, desligar o celular, deixar de comprar roupas de marca, por exemplo.

“Uma vida de menos gastos não é necessariamente uma vida mais pobre, desde que você saiba encontrar felicidade em momentos e atividades que não precisam, obrigatoriamente, de desembolso para acontecer”, ensina.

Para o autor, um investidor de sucesso não necessita de anos de preparo, mas precisa saber fazer escolhas maduras. “Investir é adquirir uma boa dose de liberdade na vida, pois das carreiras com carteira assinada podemos ser despedidos subitamente, enquanto na carreira de investidor nunca perderemos o “emprego”, diz.

Título: Cartas a um Jovem Investidor

Autor: Gustavo Cerbasi

Editora Campus

Por Karina Conde

Comente